Eunice Kathleen Waymon
Nasceu em fevereiro
E era tão diferente quanto
O mês de seu nascimento.

As pessoas não conseguiam alcançar
Sua genialidade
Seu senso de justiça
Sua magnitude.

Ela lutava
Ela se escondia
Ela escrevia…
Era única.

A menina que tocava piano
A Diva do Jazz… Do Gospel… Do Blues…
Que não gostava de canções tristes
Visionária e pioneira.

Eunice… Nina!
A filha da ministra metodista
A fã de Simone Signoret
A partidária de Martin Luther King.

The Little girl blue…
A menina talentosa da igreja
Que escutava Billie Holiday e George Gershwin
Era, na verdade, uma mulher revolucionária!

Arrogante ou arrojada…
A voz daqueles que não tinham voz
A voz a que todos tinham de escutar
E que como Eva Perón lutou pelos direitos civis.

Nina não fazia questão de ser popular
Porque Nina era sincera
E queria falar de verdades
Queria esfregar na cara de todos a hipocrisia social.

A menina, a mulher Nina
Só queria dizer que todos eram iguais
Que todas as raças e todos os gêneros têm
Os mesmos direitos e devem, portanto, ser respeitados.

Images
Strange fruit
Four Women…
Oh… I Wish I knew how it would be to be free!

A garota cheia de consciência cultural e política
Tinha a mente repleta de composições e filosofias
Não importava onde estivesse ou onde vivesse
Barbados, Suécia, Holanda ou França.

E Disse, certo dia, a Dra. Nina Simone
Selvagem é o vento,
Nina?
Forever young, black and gifted!

Deixe-me ser eu mesma!
Ou vou jogar um feitiço em você
Deixe-me ser livre!
Sincerly, Nina.

Crédito da imagem: Style Caster