Em 09 de janeiro de 1822, o Príncipe Regente Pedro de Alcântara Francisco Antônio João Carlos Xavier de Paula Miguel Rafael Joaquim José Gonzaga Pascoal Cipriano Serafim de Bragança e Bourbon, o Dom Pedro I do Brasil e também IV de Portugal, declarou que não retornaria para Portugal e ficaria no Brasil, que até então era um Reino Unido a Portugal e Algarves.

O Dia do Fico ficou marcado por um abaixo-assinado liderado por moradores de Rio de Janeiro, São Paulo e Minas Gerais e, indubitavelmente, pela frase: “se é para o bem de todos e felicidade geral da Nação, estou pronto! Digam ao povo que fico” e foi um divisor de águas para a História do Brasil que começava a afastar-se da política de Portugal, o que se concretizou em efetivo alguns meses depois, em 7 de setembro, com a declaração da Independência do Brasil.

O Dia do Fico é uma data que não pode ser olvidada e urge vir a lume permanentemente tendo em vista seu importante significado histórico, um momento em que o país se consolidava enquanto nação, como a pátria do Povo Brasileiro. Aquele “fico” retrata a decisão de quem enxergou o potencial do Brasil e pensou o país como a grandeza que ele era e ainda é.