Há pessoas que moram dentro de nós

Que falam conosco todos os dias

E nos fazem saber de acontecimentos

Do passado e do futuro.

Sei mais sobre coisas que não sei de onde procedem

Do que as que vivo cotidianamente

Mas Fernando Antônio, este sim, sabia

Porque Fernando estava sempre com pessoas.

Eu também guardo as vozes de William e de Edgar

No entanto, não sei o nome das pessoas com as quais coexisto

Mas Fernando as chamava pelos nomes

Álvaro, Ricardo, Alberto, Bernardo…

Eu não sei de onde vêm estas pessoas

E suas narrativas e suas vidas

Tantas histórias perdidas tão organizadas

Na mente e em páginas rabiscadas.

Ser tantas pessoas

E ser uma

Ter tantos talentos

E ser um.

Será que alguns de nós

Nunca existimos sozinhos

Ou será que algumas pessoas

Sempre existem em nós?

Fernando… Com pessoas

E eu… Com Pessoa.

Crédito da imagem: Substantivo Plural