Nosso destino é São Lourenço, uma pequena e charmosa cidade na região sul de Minas Gerais, no Brasil.

Chegando em São Lourenço, a primeira coisa que percebemos é a linda entrada dessa cidade que é internacionalmente conhecida por sua água mineral. Um majestoso pórtico em um estilo quase medieval recepciona os visitantes.  São Lourenço é uma das mais conhecidas estâncias hidrominerais da serra mineira, parte do Circuito das Águas de Minas Gerais, com uma população de aproximadamente 46 mil habitantes, é o quarto menor município do Brasil, tendo como municípios vizinhos: São Sebastião do Rio Verde, Pouso Alto, Soledade de Minas e Carmo de Minas. Chegamos a São Lourenço pela Rodoviária, o Terminal Rodoviário de São Lourenço, que fica no bairro Nossa Senhora de Fátima, também conhecido como “Federal”. De lá seguimos direto para o Hotel Brasil, a primeira atração da nossa viagem.

O Palacete da Baronesa de Sousa Queirós

Chegando ao Hotel Brasil, somos logo surpreendidos ao saber que ele está localizado exatamente no terreno em que Maria Angélica Sousa Queirós Aguiar de Barros, filha de Francisco Antônio de Sousa Queirós, Barão do Império do Brasil, tinha um luxuoso palacete. Além disso, o hotel se destaca por ter sido uma das primeiras grandes construções da cidade e por abrigar o maior e mais famoso cassino da cidade – o Cassino Brasil – que além dos jogos oferecia grandes bailes e apresentações de orquestras e artistas renomados no cenário nacional e internacional.  São Lourenço teve 8 cassinos. Em frente ao Hotel Brasil, uma ampla praça, que recebeu justamente o nome de Praça Brasil, e foi posteriormente batizada de Praça João Lage, abriga um parquinho infantil, um “trator”, que é na verdade, um rolo compressor à vapor que foi usado na pavimentação inicial da cidade. Na ampla praça também há pontes, placas com versículos bíblicos, um chafariz com relógio solar e o ponto de encontro das charretes.

No calçadão adiante, conhecido como “Novo Calçadão” existe mais um parque infantil, o ponto final do Trem da Alegria, que leva os turistas para um tour na cidade em companhia de personagens infantis, e um enorme Triângulo Vermelho que tanto simboliza Minas quanto relembra a participação da Maçonaria na Inconfidência Mineira por ser o símbolo mais usado por eles. Além disso, traz à baila o pensamento de Tiradentes que declarava que o triângulo era um símbolo importante por representar a Santíssima Trindade.

Em frente a Praça Brasil, a maior atração turística de São Lourenço: O Parque das Águas.

A história das águas de São Lourenço remonta ao início do século XIX quando foram feitos os primeiros registros sobre a existência de água mineral na localidade. Foi em 1826 que Antonio Francisco Viana encontrou, nas terras do pai, uma nascente de água gasosa. Após 64 anos, o Comendador Bernardo Saturnino da Veiga compra o local e também a Companhia de Águas Minerais São Lourenço, cujo nome homenageava seu pai o tenente-coronel Lourenço Xavier da Veiga, um dos primeiros moradores da cidade.  Depois de dois anos, foi inaugurada a primeira fonte de água captada, água do tipo gasosa.

O Parque das Águas é uma atração à parte. E é preciso reservar um ou dois dias inteiros para desfrutar de tudo.

Águas de São Lourenço

 (Clari Machado)

Era uma vez

Uma fonte de água gasosa

Tão cristalina

Que parecia inacreditável.

1826 foi o ano

E um comendador quis comprar

Aquelas terras de águas saborosas

E, pelo que diziam, milagrosas.

O comendador Bernardo da Veiga se apressou

Criar uma companhia de águas minerais, foi o que ele pensou

E em 1890, o plano deu certo

A companhia era sua decerto!

No século seguinte a alegria

De encontrar outras águas mais

Magnesiana, Alcalina, Ferruginosa,

Vichy e Sulfurosa!

Poucos lugares no mundo

Tem o privilégio de ter tais águas

A França é um deles

E, no Brasil, o lugar é aqui.

As águas de São Lourenço

Tão procuradas para curar

Tem toda uma história

Para contar…

Fotos por Clarissa Xavier Machado

Website Comments