Caxambu é uma cidade do sul de Minas Gerais, Brasil, internacionalmente conhecida por suas águas mineiras e, por isso mesmo, parte do Circuito das Águas do estado.

Conhecida como “A cidade das Águas”, Caxambu concentra o maior complexo hidromineral do mundo com suas 12 fontes de água mineral e ujo parque de águas é tombado pelo Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais.

A importância de Caxambu e de suas águas medicinais consideradas também miraculosas é tão grande que várias personalidades do Brasil e do mundo foram até lá. Um deles foi Rui Barbosa, jurista, diplomata, escritor, jornalista e tradutor brasileiro que de tão maravilhado com a cidade escreveu um poema chamado “Medicina entre Flores” que se tornou o lema da cidade.

O motivo pelo qual as águas de Caxambu curam inúmeras doenças ainda suscita debates; porém diversos estudos apontam para as propriedades benéficas de cada água para o corpo humano.

A visita da Família Imperial a Caxambu

Caxambu é uma cidade cuja história ficou marcada pela visita da Família Imperial do Brasil. Em 1968 a Princesa Isabel e o seu esposo, o Conde d’Eu, chegaram a Caxambu para uma estadia peculiar. Tendo ouvido falar das propriedades medicinais e curativas das águas de Caxambu a princesa rumou para a cidade mineira em busca da cura para sua infertilidade. O tratamento consistia em beber água ferruginosa várias vezes ao dia e descansar. Meses após a viagem a Princesa Isabel descobriu-se curada da anemia e também grávida. Assim que foi informada sobre seu estado de saúde a princesa ordenou que uma igreja fosse construída na cidade de Caxambu como uma forma de agradecimento à cidade por sua cura. A Igreja Santa Isabel da Hungria existe até os dias de hoje.

O Parque das Águas de Caxambu mantém monumentos e fontes dedicados a Família Imperial do Brasil que atrai todos os anos dezenas de visitantes, alguns em busca de cura; outros curiosos por ver de perto a coroa gigante de Dom Pedro II na fonte que recebe o nome do maior estadista que o Brasil já teve. O parque possui um total de 4 fontes que homenageiam o Império do Brasil: Fonte Dona Leopoldina, Duque de Saxe, Conde D’Eu e Dona Isabel.

Por dentro do Parque que recebeu a Família Imperial do Brasil

O Parque das Águas de Caxambu é um parque adorável cercado de muito verde e muita tranquilidade. Esculturas e vários lagos dão um toque de elegância ao local que conta ainda com a misteriosa Casa da Bruxa, que é um dos movimentos da “Suíte das Águas de Caxambu”, peça de Luiz Sergio Medeiros inspirada no Parque das Águas de Caxambu, e originalmente escrita para orquestra.

O parque é um lugar altamente romântico, especialmente em dias frios. Ademais, abriga muitos atrativos para as crianças como o parque infantil, o labirinto, o teleférico, o geiser, o pedalinho, o coreto, as quadras de tênis, vôlei e bocha, a piscina de água mineral e os balanços duplos ao longo do parque. O Balneário de Caxambu é um show à parte que além de sua arquitetura belíssima dispõe de serviços de saunas  e duchas como ducha Vichy e ducha escocesa, banho turco, hidromassagem, piscina de hidroterapia com cascatas e até uma banheira submersa. Na hidroterapia, ainda, é possível usufruir de aproximadamente 70 jatos de hidromassagem e de um moderno sistema de iluminação multicolorida cujo escopo é oferecer um serviço de cromoterapia.

   

 

A Lenda da Princesa Soraya do Irã

Parece não haver registros da visita da Princesa Soraya do Irã a Caxambu. Na cidade todos comentam, porém, ninguém sabe de onde veio a notícia. Tudo o que se sabe é que a Princesa Isabel do Império do Brasil teria comentado com a princesa persa sobre as propriedades milagrosas das águas de Caxambu que justamente a teriam curado da infertilidade. Soraya, que já havia tentado de tudo e percorrido estâncias minerais no mundo inteiro, inclusive as hidrominerais francesas, ao saber do “milagre” fez as malas e embarcou imediatamente rumo ao Brasil. O destino? Caxambu. E há quem diga que Soraya foi vista várias vezes no parque de águas.

Soraya Esfandiary-Bakhtiari era filha de Khalil Khan Esfandiary-Bakhtiari, um nobre de uma tribo chamada Bakhtiari  e embaixador iraniano na Alemanha Ocidental e da russo-alemã Eva Karl, que ficou conhecida como a rainha consorte de Mohammad Reza Pahlavi, Xá da Pérsia, o Shahanshah (“Rei dos Reis”) com quem se casou aos 19 anos no Palácio do Golestan, em Teerã, no dia de São Valentin.

2017 – Membro da Família Imperial do Brasil volta a Caxambu!

Em 17 de setembro de 2017, a cidade de Caxambu assistiu a um momento dos mais importantes: a visita de S.A.R. o Príncipe Dom Antônio de Orleans e Bragança, bisneto da Princesa Isabel e terceiro na linha linha de sucessão da Casa Imperial do Brasil, que participou da inauguração do busto em homenagem a Princesa Isabel. Um ingresso com a coroa imperial foi confeccionado para celebrar a magnânima ocasião.

De fato, não há como pensar em Caxambu e não pensar na Família Real do Brasil. A associação da cidade à família real é imediata. E é esse encantador fato que torna Caxambu um recanto muito mais especial.

Saiba mais em:

Solenidade de inauguração da Herma de S.A.I.R. a Princesa Isabel

DIÁRIO DA PRINCESA ISABEL EM CAXAMBU