Apenas uma mãe no interior do Brasil despertando todas as manhãs e seguindo a rotina diária. Eu, uma mãe com dois filhos pequenos, a ler as notícias sobre uma importante conferência internacional – Fórum Econômico Mundial de Davos – que anualmente recebe estadistas e líderes de destaque de todas as partes do mundo. Contudo, se este fórum é assim tão significativo porque não tenho observado o devido interesse pelo evento? Será que eu, uma brasileira comum, nada tenho a ver com o fórum? Será que o fórum em nada me agrega valor? Do que trata efetivamente o Fórum de Davos?

Bom, Davos situa-se na Suíça, um lugar com cara e clima de conto de fadas. Aquele lugar romântico, com neve caindo e onde se pode encontrar um dos melhores chocolates do mundo. Um típico cantão suíço internacionalmente conhecido por seus esportes de inverno, e desde 1971 por sediar o World Economic Forum todos os anos.

O Fórum de Davos, como também é denominado, foi criado pelo professor suíço Klaus Schwab e tem como missão primordial a melhoria do estado do mundo. Além disso, o encontro não se fundamenta em engajamentos políticos ou partidários tampouco em matérias concernentes somente a Suíça ou Europa, o que me transmite muita segurança e confiança. Eu me sinto ainda mais tranquila ao saber que o fórum atua como um observador no Conselho das Nações Unidas estando sob a supervisão do Conselho Federal da Suíça. Já quanto ao Conselho de Fundação do Fórum, este é formado por cerca de 22 membros contando com a participação de diversos países de todos os continentes e também de empresas. Dentre seus participantes estão figuras públicas, chefes de estado, ministros, embaixadores, executivos, dirigentes de organizações não-governamentais, líderes religiosos, cientistas e acadêmicos.

São 5 dias de evento e os temas enfocam, principalmente, debates acerca da situação global tais como problemas ambientais, educação, a vida das crianças, saúde, empreendedorismo e pobreza, e a indicação de soluções plausíveis sejam elas curto ou longo prazo. Após os anos 1980, o fórum foi enriquecido ao  incluir uma plataforma com o escopo de resolver conflitos internacionais. Já em 2003 deu-se início ao Fórum Aberto de Davos que versa sobre globalização e é destinado ao público em geral podendo ser levado as escolas. Esse encontro é, como o próprio nome diz, aberto e o acesso é gratuito. O ponto alto é, indiscutivelmente, a presença de jovens no Fórum de Jovens Líderes Globais cujos membros, inclusive, são selecionados anualmente. Há, ainda, a concessão de prêmios, por exemplo, no Programa Pioneiros em Tecnologia que promove o reconhecimento de empresas responsáveis pelo desenvolvimento de projetos inovadores e novas tecnologias e que, ao mesmo tempo, mantém o compromisso essencial do fórum, qual seja, melhorar o estado do mundo.

Mas e eu? O que eu tenho a ver com o Fórum de Davos?

Tudo.

Eu te explico: o Fórum me atinge diretamente mesmo que eu acreditasse que não. E em muitos âmbitos. E, sim, interessa-me saber o que tem sido discutido pelos estadistas das várias nações participantes no que concerne justamente ao quadro atual dos recursos hídricos, a proteção do meio ambiente, o declínio da educação, a infância na atualidade, a saúde e o retorno de doenças já erradicas, o desenvolvimento humano integral e o desenvolvimento eco pró-ativo. Importa-me conhecer o que o meu país e os demais têm feito a este respeito e que observações e resultados eles apresentam. Porque todos esses assuntos afetam não só o meu país e a minha cidade mas também a minha vida e a vida dos meus filhos. Acredito que esta deveria ser a preocupação de todas as pessoas. Creio que deveria haver uma maior mobilização e atenção da mídia nacional neste particular. Esse não é só um fórum europeu, é um acontecimento que envolve uma agenda global.

Agenda global… Isso me leva a imaginar que todos os governantes deveriam envolver-se com os assuntos e encorajar as pessoas de modo que todas elas pudessem registrar seus pontos de vista, indicar propostas, apresentar projetos e até mesmo empresas e líderes para representar o Brasil neste fórum. Há muita gente boa, criativa, visionária e produtiva por aqui e a divulgação desse encontro deveria constituir uma espécie de dever cívico.

Em síntese, o que eu tenho a ver com o Fórum de Davos é o mesmo que todas as pessoas têm: exatamente tudo! É a vida de cada um de nós, de nossas famílias e de nossos filhos que está sendo discutida. Com ou sem o nosso consentimento. Com ou sem o nosso conhecimento.

Que no próximo encontro estejamos todos muito mais compromissados com o estado do mundo. Nós somos o mundo.

Disponível em: https://www.youtube.com/user/WorldEconomicForum

Saiba mais em: https://www.weforum.org/events/world-economic-forum-annual-meeting-2018

https://www.cnbc.com/davos-world-economic-forum/

https://www.myswitzerland.com/en/davos.html