Por quanto tempo mais

Eu terei de repetir

Não existem raças.

 

Somos diversos

Somos únicos

E somos livres.

 

Não nos defina pelo o que você crê

Não nos rotule pelo que você acha

Somos o que somos

E eu já disse o que somos.

 

Somos livres.

 

Deixe a nossa verdade em paz

Somos felizes com nossa verdade

Não arranque de nós tudo o que somos.

 

Não somos bárbaros

Não somos ignorantes

Somos tudo o que temos.

 

Somos nossas histórias

Somos nossas famílias

Somos nossas terras.

 

E somos o que eu já disse

Livres.

 

Deixe-nos ser o que somos

Deixe-nos falar ao nosso modo

Deixe-nos ser

Livres.

 

Deixa o nosso “Amazigh”

O nosso canto guerreiro

E os nossos poemas de primavera.

 

Você pode entrar no meu “Tamazgha”

E passear por Casablanca

Mas seja respeitoso

E não destrua nossas fábulas.

 

Você pode viajar pelo Saara

E acompanhar nossa vida tuaregue

Mas seja reverencioso

E não distorça a nossa cultura.

 

Somos livres, eu já disse

Então, por favor, não nos escravize

Às suas ideias e muito menos

Aos seus ideais.

Comments are closed.