O coração de uma mulher é um coração diferenciado. É guerreiro e heróico ao mesmo tempo em que é terno e acolhedor. Quando a mulher é mãe essas características parecem duplicar. E, além disso, a mulher-mãe ganha um coração agregador que recebe com satisfação outras crianças, adotando-as facilmente, e com o mesmo instinto de proteção.

Uma professora, não é muito diferente de uma mãe, já que as crianças muitas vezes passam muito mais tempo com ela, na escola, do que com seus familiares em casa. Não é forçoso dizer que professora é uma segunda mãe.

O que significa dizer que todo aquele instinto maternal aflora cada dia em que a querida professora entra em sala. E, foi inflamada por este nobre impulso que três mulheres salvaram crianças de um incêndio. Não conseguiram salvar todas, mas salvaram muitas. Salvamento este que lhes custou a vida. Quem são essas mulheres? As professoras Helley de Abreu Silva Batista, Jéssica Morgana Silva Santos e a auxiliar Geni Oliveira Lopes Martins. Três verdadeiras heroínas!

Professora Helley, entre as três, foi a que teve a conduta mais heróica: ela não apenas salvou crianças, mas também tentou impedir o criminoso, que pretendia atear fogo nos alunos, de agir, enfrentando-o por pelo menos duas vezes inclusive fisicamente. Ela não pensou nela e nem em seus três filhos. Ela pensou nos filhos das outras mães. Pensou nas crianças indefesas. Pensou nos pequeninos que foram a ela confiados. Ela não poupou esforços e deu sua vida pela vida do próximo.

Há mais do que simples humanidade e grandeza de caráter nisso. Há um amor espiritual imensurável. O amor de quem dá sua vida para defender vidas alheias. Ela poderia ter fugido, tentado salvaguardar sua vida e até mesmo se omitido; todavia, ela ficou. E não apenas ficou. Ela lutou bravamente. Lutou até a morte. Não em legítima defesa, mas em defesa da vida daqueles que não tinham condições de lutar tampouco salvar-se por si mesmos. Um ato de heroísmo, um ato do mais sublime amor. Quando há amor verdadeiro, misteriosamente, o medo é posto fora. O amor tudo pode, o amor tudo vence. O amor nos faz heróis. O amor puro e real fala mais alto. E, do amor brota a coragem. Uma coragem indefinível, incomparável. Quem ama não se acovarda. Não se intimida. O amor é ação, é bravura, é atitude, é decisão. O amor é certeza. Certeza do que deve ser feito.

As homenageadas de DUNA PRESS PERIÓDICO neste 08 de março são Helley, Jéssica e Geni que deixam uma lição de exercício pleno do servir. Servir a outras vidas. Servir a quem precisa. Servir sempre.

O nome delas deve ser sempre trazido à memória pois elas sim representam a mais admirável figura feminina, traduzem a capacidade extraordinária da mulher em doar-se e elas é que são, de fato, e indubitavelmente as mulheres do ano no Brasil e em qualquer parte do mundo. Essas são as mulheres das quais devemos falar e lembrar. Essas sim são dignas de todo o elogio e admiração.

Helley de Abreu Silva Batista, Jéssica Morgana Silva Santos e Geni Oliveira Lopes Martins: as heroínas do Brasil!

“Agora, pois, permanecem a fé, a esperança e o amor,
estes três, mas o maior destes é o amor.”
(Bíblia, 1 Coríntios 13:13)

Website Comments

  1. Vera Helena Pancotte Amatti

    Uma homenagem verdadeira, esta homenagem , sim, eu gostei de receber como mulher, pois essas são mulheres que nos inspiram e definem nosso lugar no mundo! Obrigada, Clarissa!