Após Lewis Hamilton dar sinal de vida no Azerbaijão, o inglês voltou para os holofotes e deixou Vettel para trás. O grid de largada foi liderado pelo inglês, seguido de Bottas e Vettel.

Essa competição foi tranquila comparando com as anteriores, mas teve alguns atritos. Logo no início da primeira volta (mais precisamente na curva 3), Romain Grosjean saiu de traseira e de uma forma arriscada, acelerou o carro. Girou e ficou na contra-mão no meio da pista, o que ocausionou uma colisão forte com Hulkenberg (Renault) e Gasly (Toro Rosso), e tirou os três da corrida.

Em destaque, Hamilton a cada volta, batia seu próprio recorde de tempo, e assim, ganhava vantagem em distância de Bottas e Vettel.

Logo atrás dos líderes, estavam Verstappen e Ricciardo, que dessa vez, se comportaram em relação às provas anteriores.

Todos os pilotos estavam sob uma ameaça meteorológica de chuva. O único que parecia interessado em correr sobre o circuito molhado era Fernando Alonso, que frequentemente perguntava pra equipe sobre a previsão do tempo.

Kimi Raikkonen abandonou na volta 26 por conta de problemas mecânicos.

Mais a frente, Ocon da Force India, também precisou abandonar e parou seu carro entre as curvas 4 e 5, o que ativou o Safety Virtual.

Na relargada, Verstappen encostou em Sirotkin (Williams) e quebrou sua asa dianteira esquerda. Embora teoricamente esse dano atrapalharia, o holandês garantiu o 3º lugar.

Com o pit stop feito na metade da prova, Hamilton não teve dificuldades em vencer. O inglês foi o vencedor do GP da Espanha, seguido de Bottas e Max Verstappen. Vettel terminou em 4º lugar, prejudicado por medida da Ferrari em mandá-lo fazer o pit stop na volta 18/66, que ocausionou o retorno para os boxes mais tarde.

Embora Daniel Ricciardo ter terminado em 5º, a volta mais rápida foi a dele, com tempo de 1:18.441.

Com a vitória, Lewis lidera o campeonato com 25 pontos, seguido de Bottas (18) e Verstappen (15).

A próxima disputa será em Mônaco, dia 27 de maio.

Comments are closed.