Essa prova foi até o momento, a mais controlada da temporada, já que o circuito de Monte Carlo é estreito e lento. Daniel Ricciardo da Red Bull administrou a corrida do início ao fim sem a menor pressa. O grid foi liderado por Ricciardo, seguido de Vettel e Hamilton.

Durante a apresentação, Sirotkin da Williams teve ajuda da equipe, e por ser proibida, depois da largada foi penalizado em 10 segundos nos boxes, ficando em último lugar.

Mais a frente, seu parceiro Stroll encostou em Ericsson (Sauber) e furou o pneu dianteiro esquerdo, e foi para o pit. Ricciardo informou um problema de potência em seu carro, o que fez com que Vettel ganhasse certa vantagem.

Verstappen que largou em último foi ganhando posições rapidamente e parou na P9. De forma estratégica, manteve o mesmo pneu até 48/78 e foi para os boxes fazer sua única parada e caiu para P11.

A partir da volta 50, as coisas começaram a esquentar. Vettel colou em Ricciardo, Raikkonen em Hamilton, e Bottas em Raikkonen.

Fernando Alonso foi forçado a abandonar por problemas no câmbio de sua Mclaren.

Verstappen brigou de forma acirrada pela P9 com Sainz (Renault) e depois de muito esforço, a conquistou.

Leclerc (Sauber) perdeu o freio na curva 13 e se chocou com Hartley (Toro Rosso), e ambos tiveram que abandonar.

O grid de chegada foi praticamente o mesmo da largada. E assim, Ricciardo vence o GP de Mônaco seguido de Vettel e Hamilton.

A próxima disputa será no Canadá, no dia 10 de junho.