Duna declara-se a favor da vida e contra o aborto, e com muita alegria inicia os preparativos para a organização da Conferência Estadual Contra o Aborto a ser realizada na Paraíba.

Este é um tema muito delicado, pois envolve além de amor à vida, amor ao próximo também autoestima. O quanto você gosta de você mesmo, se acha importante e merecedor de viver? Esta resposta importa e faz diferença já que se você hoje está aqui é porque sua mãe não optou por abortar você. Ou seja, ser a favor do aborto, é uma decisão que por si só já diz muito sobre a pessoa: sofre de baixo autoestima já que tanto faz se está viva ou se estivesse morta, resultado de aborto. Essa é a linha de raciocínio. Mais do que envolver uma temática espiritual, especialmente cristã, envolve um assunto ligado a psicologia e até psiquiatria. A mente que concorda com um ato de aborto é uma mente que precisa ser estudada e tratada com terapia, para dizer o mínimo.

Outro tópico que vem ao caso trazer á baila é a alegação que concerne os cuidados e a vida digna da criança em questão bem como o estado psicológico ( e até mesmo a idade da mãe) o que constitui temas colaterais, a saber adoção e as dificuldades da adoção, pobreza e crimes como estupro, incesto, pedofilia ou filhos fruto de adultério.

Pautas primordiais para esta conferência:

I. A vida (ponto de vista espiritual/ religiões/ Cristianismo);

II. A vida (ponto de vista da ciência/ biologia);

III. A vida (ponto de vista da filosofia);

IV. A vida (ponto de vista do Direito nacional e internacional, e os Direitos Humanos);

V. O valor da vida (ponto de vista da psicologia e psiquiatria – análise das personalidades, transtornos e complexos);

VI. Justificativas dos abortistas: as alegações sobre a vida da futura criança (dignidade, família estruturada, afeto, boas condições financeiras) – temas correlatos: estado psicológico ( e até mesmo a idade da mãe) o que constitui temas colaterais: adoção e as dificuldades da adoção, pobreza e crimes como estupro, incesto, pedofilia ou filhos fruto de adultério. – Apresentação de soluções possíveis para a criança;

VII. Histórias reais: mulheres que optaram por não abortar e hoje sabem que foi a melhor decisão;

VIII. Conscientização: sexualidade, controle de natalidade (*), métodos contraceptivos, perigos do aborto ilegal/clandestino;

IX. Índices do aborto no Brasil e no mundo: ranking, estatísticas, criminalização e a “indústria” do aborto;

X. Trabalhos no Brasil e o trabalho de Duna nesta esfera.

Mais informações sobre a organização do evento em breve.

(*) Destaque: experiência escandinava. 

Nossa Embaixadora Internacional, co-fundadora e CSA Morgana Macena está à frente dos trabalhos. Dra. Morgana trabalha há anos em temas ligados a vida e a criança.