O circuito de Hungaroring foi palco de uma corrida bem técnica e controlada. Não houveram abandonos por contato nem imprudências passíveis de penalidade.

O grid de largada foi liderado pelo tetracampeão Lewis Hamilton, seguido de Bottas e Vettel.

Antes de completar a primeira volta, Leclerc (Sauber) abandona por problemas mecânicos. Seis voltas à frente, foi a vez de Verstappen. Seu carro perdeu potência e abandonar o deixou em estado de frustração intensa.

Ricciardo, que largou na P14, conquistava posições através de ultrapassagens decididas e ousadas.

Em pouco mais da metade da prova, Vettel em primeiro após pit de Hamilton, decide ir para os boxes. Por conta de problemas na fixação de seu pneu dianteiro esquerdo, perde 4.7 segundos e volta na P3 atrás de Bottas.

Vandourne (McLaren) também sofreu com problemas mecânicos e ao encostar na pista, deixa o veículo. O Safety Car Virtual é ativado.

Na voltas finais, Vettel ultrapassa Bottas e ocasiona toque que quebra a asa direita do finlandês, faltando apenas 4 voltas para o término da competição.

Na P5, Ricciardo aproveita o problema de Bottas e se aproxima dele forçando a ultrapassagem. O australiano consegue, mas Bottas o toca por dentro e Daniel sai da pista, mas se recupera rapidamente. Na volta final Ricciardo assume de vez a P4. Pierre Gastly (Toro-Rosso) assim como Ricciardo, foi destaque. Conquistou oito posições, e chegou em sexto lugar.

Lewis Hamilton consegue manter a posição de forma tranquila, e assim, o inglês vence o GP da Hungria, seguido de Vettel e Raikkonen. A próxima disputa será na Bélgica dia 26 de agosto no circuito de Spa-Francorchamps.