Não se deixe enganar. É importante estar por dentro dos acontecimentos relativos à nossa língua pátria. A língua portuguesa é a língua oficial do Brasil, uma língua que herdamos de Portugal e que mantemos até hoje.

O AO90 (Acordo Ortográfico de 1990) não é um acordo aceito como parece, sobretudo por acadêmicos, escritores e tradutores. Intelectuais portugueses, majoritariamente, rejeitam a reforma e de maneira enfática. O caso foi levado ao Tribunal e há, em Portugal, vários manifestos a fim de que o acordo seja cancelado; senão por parte de todos os países envolvidos ao menos por Portugal.

Lingüistas, gramáticos, lexicógrafos, etimólogos, filólogos e autores entendem que a língua é sagrada por ser patrimônio da nação. Quanto mais fraca e inexpressiva a língua mais enfraquecida estará a nação. A língua unificada é o ponto vital de união nacional. Ademais, os especialistas em linguagem entendem que tal acordo teve escopo político e foi imposto a Estados lusófonos que não tinham o menor interesse, tanto é que não demonstraram empenho em ratificar ou aplicar prontamente.

Importantes instituições ligadas à Educação e cultura têm se posicionado contra o AO90 como:

– ANPROPORT (Associação Nacional de Professores de Português);

– Movimento “Cidadãos contra o “Acordo Ortográfico” de 1990”;

– Associação Portuguesa de Tradutores;

– Centro de Estudos Clássicos da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa.

Em 2017, a Academia das Ciências de Lisboa sugeriu regresso de acentos e hifens. Escritores e tradutores, sobretudo os portugueses, declaram que continuarão a escrever como antes em honra e respeito à verdadeira língua-mãe. Personalidades de destaque nos cenário de Ciências e Cultura portuguesa posicionam-se contra o acordo, formando hoje um movimento cívico e apartidário totalmente inédito.

É preciso que o Brasil também reúna intelectuais para debater o assunto e tomar posição.

O Grupo Duna, conforme anteriormente comunicado, se posiciona contra o AO90. Nossa linha de raciocínio está em harmonia com o movimento português contra o AO90. Acreditamos que língua forte significa nação forte, e nação forte é nação unida.

Releia aqui Duna se manifesta contra acordo ortográfico.

Saiba mais sobre o assunto clicando em:

Ação contra acordo ortográfico no ensino público.

Todos em aCção contra o AO90.

Em Defesa da Língua Portuguesa.

Iniciativa Legislativa de cidadãos contra o Acordo Ortográfico.

Carta aberta contra o AO90 (Jan. 2018).

Parlamento discute saída de Portugal do AO90.

Tradutores Contra AO90 (Canal Youtube).

Reunião Plenária da Petição contra AO90.

3.º Forum contra o “Acordo Ortográfico” de 1990 (Maio de 2017 na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa).

Acordo Ortográfico por Luiz Carlos Prates (2014).