Esta semana, o STF brasileiro julgou como sendo irregular o ensino no formato homeschooling.

Referida corte já mostra que não joga em favor do povo há muito tempo. É um poder independente do próprio judiciário, eis que deveria apenas analisar matérias que afrontam a constituição e não fatos e mérito das questões, pois assim está nossa lei atual.

Porém, o STF, julga a seu bel prazer. Uma corte com indicação política passa por cima de muitos julgados de segunda instância por uma turma de desembargadores de carreira, pois por vezes julga novamente fatos e mérito, fora de sua competência real. Uma aberração a mais neste país. Novidade? não.

É fato que muitos países no mundo adotam o homeschooling de forma natural, ou seja, sendo uma opção a mais para as famílias, alunos e professores.

O homeschooling gera renda, emprego, oportunidades de formar turmas específicas nos lares ou mesmo ensino individual. É organizado, planejado, com metas e diretrizes e busca aumentar ainda mais a capacidade e possibilidade de crescimento dos alunos. Portanto, não é nada aleatório ou por achismo, tem critérios e material específico e planejado para o melhor resultado possível, como já é comprovado na maioria dos países desenvolvidos.

Assim, é facultativo e não obrigatório. Uma lástima é ver o Brasil dizer que a única forma de ensino possível é a na escola, pois nem sempre é a melhor e nem sempre os professores são os mais habilitados para o ensino.

Temos que flexibilizar nosso ensino, pois o que se mostra nos últimos 40 anos é que o país não desenvolveu em nada a educação e estamos colhendo hoje, na economia, na política, no campo da ética, na falta de empregos.

Só não enxerga quem quer tapar os próprios olhos, que nossa educação vai de mal a pior, por baixa remuneração dos docentes, falta de segurança, falta de respeito e agressão aos professores, estrutura precária e aí vai.

Vamos continuar assim ou devemos repensar? A resposta é clara.

Salas de aula com 40 alunos ou mais, enquanto não é fácil dar conta de 10. E sabemos que boa parte vai para escola por obrigação, sem intuito de aprender, seja porque os pais tiveram a “mesma” educação ou não tiveram nenhuma.
Voltemos ao STF, uma corte de indicação puramente política. No Brasil já somos escravos há muito tempo. Você acha que os que aí estão na política ou nesta corte vão deixar você sair da escravidão facilmente, ou você acha que eles vão fazer o máximo para lhe manter como estamos, doutrinados e quietos (conformados)?

Porque eles negam uma oportunidade a mais de homeschooling, pois não será obrigatório, mas facultativo as pessoas escolherem o melhor para sua família e filhos, pois isso sim é liberdade, de modo que do contrário estamos novamente tendo mais uma liberdade duramente cerceada.

Então, porque seria interessante você buscar homeschooling para seus filhos, netos e amigos?

Primeiro porque neste país as escolas, por meio de alguns indivíduos, as vezes, doutrinam as crianças em ideologias das mais diversas, deturpando valores familiares e sociais.

Outras, tratam de ideologia de gênero e tentam lavar o cérebro das crianças e jovens. Ainda, por vezes fazem política e propaganda eleitoral, em total desconformidade ao papel de ensinar para evoluir, ingressar no mercado e prosperar.

Engraçado falar, mas muitos tentam idiotizar os jovens para serem omissos, não entenderem a realidade na sociedade e manterem-se no assistencialismo estatal, ou seja, tudo deve ser fornecido pelo governo e depender o máximo possível dos governos.

Assim, o homeschooling pode ser feito de várias formas. Com um ou mais professores, com um ou mais alunos, não sendo necessariamente solitário, ou seja, haverá relacionamento interpessoal em várias hipóteses, como também vários grupos de homeschooling podem se encontrar a cada tanto tempo para desenvolver atividades e amizades (socialização).

As universidades no Brasil já são na grande maioria EAD, dezenas de faculdades com ensino desta forma, então porque proibir uma opção a mais para as crianças aprenderem? Não podemos deixar que nos tirem esse direito facultativo, pois é mais um passo para nos tirar toda a liberdade e manter a todos como gado, de um lado para o outro, como o governo quer.

Enfim, podemos continuar da forma que vem sendo realizado no Brasil, mas deixando obrigatório que os alunos estejam inscritos em escolas normais de hoje. Nada impede que continuemos buscando de forma alternativa, mas não exclusiva o homeschooling, porém não temos o direito garantido constitucionalmente, e aí é que mora o problema.

O homeschooling já provou a nível mundial que este método cria gênios, cultura, e alavanca a criatividade e produtividade de uma forma excepcional, como tais exemplos que a história nos mostra, dentre eles Aristóteles, Santo Agostinho, São Tomaz, entre outros.

Em breve publicaremos mais sobre o tema e, esperemos os próximos capítulos, pois há leis que devem ser votadas neste sentido, e é importante acompanharmos e cobrarmos dos nossos representantes. Precisamos garantir a liberdade e nossos direitos!

 

Fontes das imagens:

1 – http://meteoropole.com.br/2017/06/minha-opiniao-sobre-homeschooling/

2 – http://dolsan.by/product/tury-dlya-shkolnykh-grupp-v-evropu/