É um fato que nosso sistema de ensino brasileiro não atende ao menos a maioria esmagadora das expectativas e necessidades dos alunos, ou boa parte delas, por inúmeros fatores, uma questão que foi plantada há muito tempo e poucos trabalham para reverter este quadro.

Nosso sistema é estático e não evolui há muito tempo, de modo que é chegada a hora de ultrapassarmos alguns paradigmas e evoluirmos difundindo novos conceitos e opções, seja pelo meio público, privado, individual ou coletivo.

A história da humanidade já demonstra que o conhecimento sempre foi privado para 90% ou mais das pessoas no mundo todo, em todos os lugares, fato este proposital e articulado para os poderes se mantenham como estão, e os mesmos se perpetuem pelo conhecimento e regras do jogo.

Tanto é que entre dezenas de fatos históricos, tais como a queima de milhões de livros pelos nazistas quando chegaram ao poder, também por volta dos anos 300 a 400 destruíram a biblioteca de Alexandria, a mais vasta do planeta. Um acervo que poderia ter mudado a realidade das pessoas de hoje, eis que poderíamos estar apreciando um novo mundo pelo conhecimento intencionalmente apagado.

Logo após, destruíram a biblioteca de Atenas, a segunda mais importante do mundo, com os mesmos objetivos.

Por volta do ano 500 retiraram das escrituras sagradas, por exemplo, os dezenas de conceitos sobre reencarnação entre outros assuntos atrelados a este tema. Porque? Para esconder o máximo de conhecimento e que possibilite o crescimento e evolução das pessoas, para que todos não entendam como universo funciona e quais os planos do Todo\Deus.

Aí a dominação fica fácil e por aí seguem os últimos 2 mil anos de história, de pura dominação, escravidão; um jogo maléfico.

Tudo que é feito neste jogo da educação, vamos falar do nosso quintal de casa mesmo, nosso país, é um jogo de baralho muito bem arquitetado para não criar pessoas e conhecimentos excepcionais, salvo raras exceções.

A Noruega e o EUA, por exemplo, já é bem ao contrário, a maioria esmagadora sai do sistema de ensino preparado para criar novas coisas, produtos, empresas, conhecimentos, a fim de proporcionar uma evolução não somente material e financeira, mas também de prosperidade em todos os sentidos para as pessoas, e aí entra o conhecimento espiritual ou religioso, mas não de uma determinada religião, pois isto é irrelevante, mas sim de Deus.

O Homeschooling é uma forma de libertar-se em vários sentidos, de alcançar direitos e liberdades por vezes escondidas propositalmente. Dá a liberdade, foco e quando bem planejado levará a criança ou jovem a resultados impressionantes, inimagináveis nos moldes educacionais de hoje, e, transformará de forma ímpar toda a sociedade e as pessoas.

De igual forma prepara os cidadãos para serem criativos e livres em ideias, pensamentos e ações, e é o que precisamos para o momento, pois precisamos evoluir e trabalhar com foco nisto, sendo esta forma de ensino uma quebra de paradigma, superação de obstáculos e, sem dúvidas, proporcionará um crescimento na sociedade sem igual, como já está comprovado em muitos países de primeiro mundo, tais como Estados Unidos, Noruega, etc.

A modalidade Homeschooling deve primar sempre pela evolução e melhoramento das formas e modelos de estudo, pois proporciona por si só uma liberdade de consciência e pensamento aos alunos.

Nosso mundo não é apenas material, eis que hoje não ensinam a fundo a física e os fenômenos quânticos já comprovados. Tudo porque não querem que ensinem. Já que o currículo das escolas públicas é estático e não flexível para estes temas, devemos dar a opção das pessoas se libertarem desta amarra do sistema e migrarem para o ensino em Homeschooling, onde corretamente estes temas podem ser abordados não tão somente pela ótica materialista, mas também pela visão transcendente, espiritual ou acima do nosso mero entendimento de matéria.

De igual forma o sistema de ensino brasileiro baniu os ensinos cívicos e morais, bem como religiosos. Não quer dizer que precisa ensinar religião A ou B, mas sim que existe muito mais do que conseguimos ver no momento e sentir pelo tato das mãos, tais como o que viemos fazer aqui, o que somos, para que nascemos. Estas questões possuem tom de religiosidade, independente de qual denominação uma pessoa siga, pois Deus é um só.

São alguns dos exemplos de temas os quais os adultos de hoje não tiveram acesso e não sabem sequer o mínimo sobre tudo isto, nem conversam com os outros por não terem o mínimo necessário de conhecimento nestas áreas, e por aí segue.

Embora não esteja legalizado por lei no Brasil é possível por meios próprios, seja pagando particular, complementação do estudo escolar, meios judiciais, via promotoria de justiça, entre outros, buscar esta metodologia para os filhos, que é o passo primeiro para iniciar a quebra deste sistema engessado. Brevemente exporemos mais sobre este importante tema.

Por fim, o recado principal é conhecer os detalhes deste tema, buscar a evolução constante da educação, pois as consequências serão em dezenas de áreas da vida de todos.

Crédito da imagem: http://extrapauta.com.br/homeschool-iii-a-visao-dos-juristas/

Outros links para leitura:
– Como é o Homeschooling na Noruega – clique aqui.
– Crítica ao Homeschooling no Brasil – clique aqui.
– Homeschooling – Uma análise política da coisa – clique aqui.