Kjell-Børge Freiberg, Ministro de Petróleo e Energia, se pronunciou, esta semana, na abertura do Global Wind Summit em Hamburgo sobre o ponto de vista norueguês no que concerne à energia. Segundo ele, a Noruega tem grandes reservas de petróleo e gás, especialmente gás, e a maioria das exportações de gás vai para a Europa. O gás norueguês cobre cerca de 30% do gás usado na Alemanha. Ao mesmo tempo, a Noruega também tem muita energia renovável. Noventa e oito por cento [98%] da produção de eletricidade vem da energia hidrelétrica, mas cerca de setenta por cento [70%] do uso total de energia na Noruega consiste em energia renovável.

Ademais, a Noruega tem muitos recursos de energia eólica. E há um forte e crescente interesse na energia eólica. Neste momento, muitos grandes projetos onshore estão sendo elaborados.  O desenvolvimento da energia eólica na Noruega cria oportunidades para fornecedores e investidores, tanto da Noruega como de outros países.

O governo congratula-se por ter o grande desenvolvimento de energia eólica na Noruega, e por sua política ser simples: em geral, o desenvolvimento de energia renovável é baseado no mercado. Neste momento, o país identifica locais em terra mais adequados para a energia eólica. Os recursos eólicos disponíveis, a capacidade da rede e o impacto no meio ambiente e nas comunidades anfitriãs serão parâmetros importantes, o que irá garantir um desenvolvimento equilibrado da energia eólica.

Outro aspecto importante do sistema de energia norueguês é o relacionamento com os países vizinhos. Os países nórdicos são unidos e trocam energia há décadas. Agora, conexões com o Reino Unido e a Alemanha também estão sendo construídas. De acordo com o Ministro, é preciso uma estreita cooperação com os vizinhos europeus, pois todos enfrentam muitos dos mesmos desafios. Um desses desafios é mais o uso de eletricidade renovável.

Em virtude de seus recursos hidrelétricos, a Noruega utilizou por muito tempo eletricidade para mais propósitos do que outros países. Foi o alicerce de uma grande indústria intensiva de energia na Noruega. Mesmo assim, agora o que se busca é eletrificar novos setores. O setor de transporte é fundamental. A Noruega já possui o maior número de carros elétricos per capita do mundo. Também há avanços com navios e balsas elétricas. E este desenvolvimento continuará. Toda a Europa está indo na mesma direção, e Kjell-Børge Freiberg acredita que o comércio de energia através das fronteiras é uma parte importante da solução quando as sociedades européias usam eletricidade para novos propósitos.

Sobre o vento no mar, Freiberg declarou que a Noruega está preparando a abertura de uma ou duas áreas em águas norueguesas para a produção de energia renovável offshore. Essas áreas podem ser relevantes para grandes projetos comerciais no futuro. A expertise norueguesa em operações offshore já foi usada no desenvolvimento de grandes parques eólicos offshore. A Hywind Scotland, o primeiro parque eólico flutuante do mundo, é um bom exemplo. A indústria norueguesa tem amplo conhecimento e competência relacionados a petróleo e gás, energia renovável e setor marítimo. É interessante ver essa expertise colocada em uso em projetos eólicos offshore.

Para o Ministro, as empresas norueguesas tem muito a oferecer no setor eólico offshore e a Noruega vê um grande potencial na eólica offshore flutuante e continuará acompanhando de perto o desenvolvimento.

Leia matéria oficial na íntegra clicando aqui.

Comments are closed.