O lugar perfeito para apaixonados por livros, definitivamente, é Fjærland, uma região em Sogndal, no final do Fjærlandsfjorden, no condado de Sogn og Fjordane, na Noruega. O Fjærlandfjorden fica próximo ao norte de Sognefjorden, o fiorde mais longo da Noruega. Fjærland, com seus quase 300 habitantes,  é a cidade oficial do livro da Noruega, por isso chamada também de “a cidade mágica dos livros”.

Uma pequena aldeia remota de Fjærland, a Mundal Village, transforma edifícios abandonados em livrarias.  As 10 livrarias nada mais são que encantadoras casas de madeira à beira-mar, ou antigas salas de espera de balsas, estábulos, bancos locais ou correios. Por toda a parte há pinheiros, montanhas e geleiras. E livros. Lá há mais livros do que pessoas! A Cidade do Livro abriga uma coleção de incríveis 150.000 livros usados que se fossem alinhados em prateleiras, lado a lado, ocupariam 2,5 quilômetros!

A cidade-livro norueguesa foi aberta em 23 de junho de 1996 pelo Ministro da Cultura, Åse Kleveland, e foi a oitava cidade do livro na Europa, a primeira na região nórdica. A base de funcionamento parte de três alicerces: Livrarias-editoras, Livrarias-sebo e uma Fundação (que é parceira, colaboradora e apoiadora). As duas grandes livrarias locais são: livraria norueguesa AS (que tem várias lojas) e a loja de antiguidades de Straumsvåg. Ambas têm um trabalho interno de escritório durante todo o inverno e entregas via correio, pois as livrarias estão abertas apenas de maio a setembro (do início da primavera ao final do verão), embora se possa comprar online durante todo o ano.

Além disso, há estabelecimentos menores que se especializam em áreas específicas da literatura. Há lojas de livros maiores com amplos corredores, e outras bem modestas, dispostas ao ar-livre. Também há uma variedade de possibilidades de alojamentos, gastronomia local, eventos literários como “Noite dos Livros”, “Festival do Livro Ambiental”, “Feira de Teatro”, “Caça ao Tesouro”, “Encontro com as Literaturas de Viagem”, “Festival da Literatura de Fantasia” e palestras para escritores. Há atrativos como visitar hotéis de madeira à moda antiga, um museu da geleira, restaurantes típicos, cabanas para aluguel, galerias de arte e quiosques que organizam atividades como caminhadas nas geleiras, caminhadas nos fiordes, recreação para crianças, venda de discos (vinil) e passeios em caiaque.

A proposta dessa cidade é um encanto e muito inteligente, sobretudo em tempos em que tantas pessoas se desfazem dos livros em papel. Ademais, um município oferecer uma função social e cultural tão nobre aos prédios abandonados e usar isso a favor do turismo e da prosperidade local é uma inspiração para todos os que não vêem esperanças para suas pequenas comunidades e/ou bairros. Os apaixonados por livros só têm a agradecer, afinal um “mundo” de livros é sonho de todos os que amam ler…

 

Saiba mais em:

Site oficial da cidade

A cidade do livro

A cidade mágica dos livros

 

 

 

 

 

Comments are closed.