De vários artigos que iremos lhe trazer, para fim de lhe auxiliar, hoje falaremos de forma introdutória quanto a prosperidade financeira, dinheiro e outras questões, as quais ao longo das semanas trataremos mais e desvendaremos e lhe mostraremos uma outra realidade.

Estamos de fato neste mundo, mas podemos escolher não ser do mundo materialista e assim tentar evoluir.

O jogo do mundo de hoje é o jogo da competição, que foi plantado em todos nós desde o nascimento até o término da faculdade, pós-graduação, mestrado, doutorado, etc. A economia de um modo geral é focada na competição e ser melhor que o outro a todo custo, independente das consequências,  o que se parece também como uma selva.

Quanto mais estudarmos mais competitivos ficamos. Quanto mais mão de obra disponível, menos ela vale.

Como sair dessas amarras para prosperar financeiramente?

Primeiramente é necessário pensar em Escala.

Se você possui um trabalho determinado por salário em lei, mudar fica quase impossível, como também é o caso de quando há muita mão de obra igual a sua, ou seja, excesso de oferta de trabalho para pouca demanda.

A verdade é que os trabalhos, carreiras não devem ser tão competitivas quanto temos em mente e como é pregado hoje em dia no mundo (selva) que vivemos hoje.

Primeiramente, para sair deste sistema, é necessário fazer algo paralelo, iniciar pensando em outra fonte de renda, seja vendendo bolacha, fazendo pequenos serviços (bicos), reformas, jardim, dar aulas, etc., tudo para iniciar uma nova etapa. Não é necessário grandes filosofias, mas sim pequenos atos, ou seja, AÇÃO.

Ou mesmo de igual forma é: – eu preciso criar algo novo, uma alternativa nova, para aí poder seguir em escala e aumentar o ganho real.

No planeta com o grau de carência consumista que vivemos, é deveras fácil transformar ou criar algum produto ou serviço. Não nos faltam recursos.

O crescimento deve sempre ser contínuo. Estabilidade não existe, por isso não busque a estabilidade nunca em sua vida financeira, pois ela não deve ser desejável, eis que gera apenas zona de conformo e estanca o crescimento, que tem possibilidades infinitas.

Enfim, quando puxamos o freio pensando em escala, lá no fundo, não queremos progredir.

Quando você tem sócios, vários gerentes ou mesmo trabalha em família, todos os atritos desnecessários geram consequências.

Ou seja, se houver brigas como em família, as vendas irão cair, os clientes não ficarão satisfeitos, não haverá tanto lucro.

O que tudo isso quer dizer é que quanto mais ego, mais desavenças pessoais, menos se evolui, menos cresce e menos prosperidade financeira para todos.

O universo é movido pela intenção. Se estamos produzindo e sem prejudicar ninguém, crescemos.

Não é necessário capital para crescer. Tudo dá trabalho, não há prosperidade sem sacrifícios e esforço. Mas então tem que andar na chuva, no sol, caminhar bastante? Metaforicamente sim, sempre.

Escutamos que temos que sofrer, sempre sofrer, quando a verdade é que estando alegres é que vendemos muito mais.

Quando estamos alegres, as pessoas já pensam que a pessoa é superficial. Porém a alegria nos eleva, a tristeza nos faz decair. Não há necessidade de luta e glória, mas sim de trabalho e quanto mais alegria melhor.

Fomos doutrinados para que sigamos sempre pela dor e sofrimento, que só vamos nos dar bem e conseguirmos o que queremos pelo sofrimento, quando a alegria e nos sentindo bem é o melhor caminho. O sofrimento pode te levar ao sucesso, mas não é o melhor caminho, pense nisso.

Quando não temos maiores preocupações, mas estamos em alegria, nos sentindo com alegria, crescemos. Só com alegria é que podemos prosperar 100% profissionalmente, financeiramente, etc. Quando começamos a vender ou fazer algo novo se iniciarmos com alegria, atraímos tudo o mais.

As pessoas pensam, quando somos do mundo, que temos que fazer dívidas para criar algo, ou devemos ter dívidas para conseguir clientes ou crescer.

O contrário é um caminho melhor, pois tudo depende de inúmeros fatores.

Até para pedir esmola é preciso ter alegria, senão fica difícil ganhar. A vontade tem que ser intensa a alegria tem que ser enorme.

O ímpeto também te coloca 100 passos na frente dos outros. Os primeiros passos têm que ser os primeiros. Parece redundante mas não é. Há necessidade sempre de um primeiro passo, para então, após, dar o segundo, terceiro e assim sucessivamente.

Sempre deve haver um após o outro. Se pararmos de caminhar ou de dar passos chegamos na zona de conforto e aí não crescemos mais.

A palavra final é persistir, não uma semana ou um mês, mas vários meses, vários anos e trabalhar, trabalhar e trabalhar…

Não são as grandes filosofias e sociologias que fazem as coisas acontecer. É tudo muito mais profundo.

O mendigo pode sair da situação de miséria se conseguir tratar bem o cliente dele, que é o que dá a esmola, ou seja, se trabalhar bem, se sentir que é bom viver e estar feliz por viver e fazer o que faz.

O universo só funciona com alegria. É uma pílula difícil de engolir, mas faça a experiência e veja os resultados, a alegria deve ser interna e não apenas uma emoção de comer um pudim delicioso. A alegria flui da centelha divina que há dentro de cada um de nós.

99% das pessoas não sabe que existe uma centelha divina dentro de cada um. Se todos soubessem talvez não estaríamos nem mesmo falando e escrevendo sobre isso.

Então, como mencionado no início do texto, é preciso estar no mundo, porque de fato estamos, mas não ser do mundo, QUE É O MESMO QUE SOLTAR e assim prosperar financeiramente.

 

Fonte da imagem: http://equilibrioeterapia.com.br/abundancia-e-prosperidade-5-conceitos-importantes-sobre-o-fluxo-financeiro/

Comments are closed.