Aquele ar de Paris… Réveillon, Champagne… E eis que finalmente chega, ao som de fogos de artifício, ele o tão esperado e desejado ANO NOVO.

O ANO é NOVO, mas e você?

O ANO MUDOU. Você também mudou?

Esses são dois questionamentos-chave. O ano ser “novo” não significa que sua vida será “nova”. O ano ter mudado não significa que sua vida ou você também mudará. A menos que você queira. E se esforce. E busque.

É sempre uma questão de disposição.

Veja, nada é fácil. E as pessoas, geralmente, não são assim tão gentis. Se não tivermos gana, iniciativa, garra, intrepidez, valentia e audácia, acredite: não sairemos do lugar.

Não espere cair do céu. Nem passe os dias empurrando resoluções com a barriga. Logicamente, que você pode agir assim. Passar o ano esperando a morte da bezerra. Ou “ en attendant Godot“(**). É tudo uma questão de escolha. E muitas vezes, uma questão de honra. Nas palavras de Shakespeare:

to be, or not to be, that is the question“(***).

Eu, Clari Machado, jamais teria publicado um livro, muito menos três… Se não fosse minha força de vontade. Eu precisei sentar e ficar horas de frente ao computador trabalhando com a cabeça (dentro da minha cabeça, na verdade), enfrentando todos os barulhos e interrupções possíveis (e todas as ligações de todos os telemarketings que existem no Brasil). Tive de abdicar de momentos de lazer e programas de televisão. Eu precisei passar horas estudando, pesquisando, lendo e escrevendo tanto no computador até o ponto de minhas olheiras deixarem meu rosto irreconhecível. Tive de abrir mão de muitas coisas e saber que uma vez escritor adeus rotina, adeus horários certinhos. Escritor não tem horário, não tem lugar, não tem férias e, normalmente, não é nem reconhecido nem campeão de vendas (a menos que seja uma celebridade). Tive de enfrentar críticas e desdém de muitas pessoas que acham que ser escritor é o mesmo que ser “nada”, afinal o escritor só escreve, e isso qualquer alfabetizado faz. Oras! Que absurdo…

Todavia, ser escritora é a minha vida, e com toda a firmeza e o foco que é necessário eu me entreguei ao ofício. Eu mudei. Eu quis mudar. E assim, para mim, o ano realmente mudou: mudou porque eu mudei. Foi um ano realmente novo, porque eu me renovei, eu me fiz nova. Supernova.

Evidentemente que esse é um caso peculiar. E não estou dizendo que todos devem ser escritores, mas que todos devem seguir seus sonhos e prosseguir em franca evolução.

O ponto mais importante é ser você mesmo. Foque em você, em quem você é, no que você quer. Esqueça o que os outros estão fazendo. Desligue-se do que os outros estão “postando”. Utilize as redes sociais como fonte de pesquisa e não como fonte de fofoca. Olhe para você. Para sua vida. Invista em você: estude, aprenda, pesquise, empreenda, desenvolva, produza, trabalhe, evolua. E, crucial: não se deixe contaminar pela Síndrome da Barata Tonta (****).

De qualquer forma a mudança pode vir de várias formas. Um pequeno hábito ruim, por exemplo, pode ser riscado da sua vida.

Eu, Clari Machado, parei de tomar refrigerante e comer biscoitos recheados. Um dia parei e pronto. Mudança. Novidade.

Mudança e Novidade… São palavras e mais do que isso, são atitudes, condutas tão itinerantes e dinâmicas! E que só dependem de nós.

O que eu, Clari Machado, pretendo mudar em 2019?

Nada de mais… Pretendo não mais consumir margarina, beber mais sucos naturais, ser fluente em norueguês, e passar a dormir às 22h00 e acordar às 06h00 todos os dias. (Confesso que ainda estou me decidindo quanto a dois outros pontos: parar de beber leite de vaca e parar de consumir carne vermelha…).

Se eu conseguirei? Bem, isso definitivamente só depende de mim. Uma coisa é certa: se eu nunca começar nunca vou mudar e assim meu ano nunca será de fato “novo”…

Essa é a Coluna Eu, Clari Machado. Uma nova coluna em um novo ano.

Mudanças e novidades…

*Foto por Clari Machado.

** Em: En Attendant Godot, de Samuel Beckett

*** Em: Hamlet, de William Shakespeare.

**** Em: A Síndrome da Barata Tonta, por Leonardo Garbossa.

Para saber mais sobre A Síndrome da Barata Tonta, clique aqui.

Comments are closed.