Café é uma das bebidas mais consumidas do planeta. E a minha favorita. Não há nada no mundo como um bom café. O café é apreciado no mundo inteiro, seja quente ou frio; cafeinado ou descafeinado, com ou sem acompanhamentos.

Há quem o beba sem adoçar e há quem o coma puro! Honoré de Balzac, escritor francês, que o diga. Estima-se que ele tenha tomado mais de 50 mil xícaras de café ao longo de sua vida. Estudiosos relatam que ele teria uma máquina de café ao lado de sua escrivaninha, sobre a qual trabalhava cerca de 15 horas por dia, e também comia pó de café nos dias mais sonolentos. Lenda ou não, o fato é que há quatro cafeterias no mundo inspiradas nele, que chegou a escrever em 1830 o ensaio “Os Prazeres e as Dores do Café” (The Pleasures and Pains of Coffee).

Assim como Balzac sou uma aficionada por café. Já mantive uma cafeteira ao lado de minha escrivaninha doméstica quando o local em que eu vivia possuía três tomadas no aposento. Escrevo meus textos e livros sempre com uma boa e cheia caneca de café. Café me faz companhia, me ajuda a pensar e, sobretudo, não me deixa “dormir na praça”.

Sim! Sou uma entusiasta. E não, não imagino um mundo onde o cheiro do café não exista. Aliás, eu mesma não existiria sem o velho e bom café. Acordar sem o aroma de café? Não acordo! Recuso-me.

Eu, Clari Machado, portadora de uma hérnia de hiato, fui advertida pelos médicos, com direito a lista e tudo: deve evitar café! Curiosamente, o café jamais me fez algum mal. São cerca de 6 a 10 canecas por dia. Passo bem e minha hérnia também.

A importância do café é tanta que ganhou uma ópera de nada mais nada menos que Johann Sebastian Bach: “A Cantata do Café”. Completamente obcecado por café consta de suas biografias que ele costumava dizer que o café era mais bonito que mil beijos e mais doce que um vinho Moscatel.

Porque tanto amor ao café? É que o café é sempre um bom aliado, seja trabalhando ou descansando. Em qualquer estação e em qualquer hora do dia. Segundo investigações científicas, o café tem propriedades que melhoram a saúde em muitos aspectos pois ele contém vitamina B, cálcio, potássio, lipídios aminoácidos e vários minerais. Cogita-se ainda que além de estimular a memória, o líquido precioso possa contribuir para a longevidade. Consumido com moderação é benéfico e terapêutico.

É um produto realmente interessante. Há uma infinidade de combinações possíveis e de receitas culinárias tanto de doces quanto de salgados usando o café como ingrediente.

O café é o fruto do cafeeiro, preparado a partir de grãos torrados, e tem sua origem no continente africano, mais precisamente nas terras da Etiópia, muito provavelmente com culturas desenvolvidas no Sudão e no Quênia. Café é uma palavra árabe que significa vinho e a bebida era muito cultivada no oriente, tendo sido torrado pela primeira vez na Pérsia.

O BOM DO CAFÉ…

Melhora a concentração

Estimula a memória

Aumenta a energia

Acelera metabolismo (ajuda a emagrecer)

Controla a intensidade do sono

Reduz sintomas de Alzheimer, Parkinson e depressão

Previne o envelhecimento

Melhora a oxigenação do sangue

Aumenta dopamina

Melhora desempenho na prática de esportes

Dentre os diferentes grãos de café mais apreciados no mundo estão os do tipo arábica, Bourbon, Kona, Catuaí, Acaiá e Robusta. O mais polêmico ou exótico (como preferir) é o Café Jacu (Jacu Coffee).

Eu, Clari Machado, sigo por aqui. Lendo Balzac e tomando aquele delicioso café mineiro…

*Créditos da imagem: BBC

Website Comments