Após diversos cerimoniais realizados nos primeiros dias do Governo Bolsonaro, sinalizando o resgate moral do país e seus valores mais tradicionais como meio para restaurar a ordem e o progresso da nação. Um fato inédito ocorreu durante o discurso de posse do novo Ministro das Relações Exteriores, ERNESTO ARAÚJO.

.

Pela primeira vez em 130 anos da imposição da República, um alto membro da Família Imperial Brasileira, S.A.I.R. Príncipe D. Bertrand de Orléans e Bragança (segundo na linha sucessória ao Trono Brasileiro), trineto do Imperador Pedro II do Brasil. Esteve presente na solenidade de posse, no Palácio do Itamarati como convidado especial.

.

Para a maioria dos convidados, apenas mais um dos ilustres presentes sentados na primeira fileira. Para a maioria do povo brasileiro, ainda um desconhecido, um personagem inserido nas imensas distorções históricas escritas nos livros de história do MEC. Mas para alguns, como o próprio ministro Ernesto Araújo e cientes do ato criminoso desferido contra o Brasil na manhã de 15 de Novembro de 1889; a presença de D. Bertrand de Orléans e Bragança, numa solenidade oficial da República; sinaliza claramente as direções que o Ministério das Relações Exteriores deverá adotar para a construção da nova imagem do Brasil no exterior. Dentre as quais, as de um país mais aberto economicamente e com muito menos interferência estatal, além da restauração de seus valores históricos e de riqueza nacional.

.

Citado nominalmente no início do discurso e sendo D. Bertrand um dos maiores estudiosos e especialistas sobre Brasil, o ilustre convidado ouviu atenciosamente as palavras do ministro sobre o papel marcante dos antigos chefes de estado durante o Brasil Imperial.

Fonte: Demétrius Washington

Print Friendly, PDF & Email