Na última quarta-feira, dia 2, o Príncipe Imperial do Brasil, Dom Bertrand de Orleans e Bragança, foi especialmente convidado para a cerimônia de posse do Embaixador Ernesto Henrique Fraga Araújo como Ministro de Estado das Relações Exteriores, solenidade realizada no Palácio Itamaraty, Sede do Ministério das Relações Exteriores na Capital Federal, Brasília.

Ao iniciar seu discurso de posse, o Ministro Araújo saudou e agradeceu a presença do Príncipe Imperial, que ocupou lugar de destaque, na primeira fila, ao lado do Ministro José Antônio Dias Toffoli, Presidente do Supremo Tribunal Federal e Chefe do Poder Judiciário, e do ex-Presidente da República e atual Senador pelo Estado do Alagoas Fernando Affonso Collor de Mello, na chamada Sala Brasilia, decorada com a atual Bandeira Nacional, bem como por nossas Bandeiras Históricas, dentre as quais a do Reino Unido de Portugal, Brasil e Algarves e a do Império do Brasil.

Encerrada a solenidade, Sua Alteza teve a oportunidade de cumprimentar o Ministro Araújo e sua esposa, a Embaixatriz Maria Eduarda de Seixas Corrêa Araújo, bem como a Doutora Raquel Elias Ferreira Dodge, Procuradora-Geral da República e Chefe do Ministério Público Federal e do Ministério Público da União, e o Doutor Antonio Herman de Vasconcellos e Benjamin, Ministro do Superior Tribunal de Justiça, bem como outras autoridades presentes, e ainda se reuniu com o Doutor Ricardo de Aquino Salles, Ministro de Estado do Meio Ambiente, seu conhecido de longa data, tendo frequentado os ambientes monárquicos desde a adolescência e inclusive lido o bem-sucedido livro do Príncipe Imperial, “Psicose Ambientalista: os bastidores do ecoterrorismo para implantar uma ‘religião’ ecológica, igualitária e anticristã”, no qual Sua Alteza denuncia e desmonta a farsa do “aquecimento global”.

A Família Imperial do Brasil, desde o seu retorno à Pátria, em 1945, do exílio ao qual foi forçada após a Proclamação da República, sempre buscou manter relações cordiais e respeitosas com as autoridades republicanas, aceitando, de tempos em tempos, convites para participar de comemorações e solenidades, o mais das vezes diretamente relacionadas ao nosso glorioso passado monárquico, como a transladação dos despojos mortais dos Imperadores e Imperatrizes que fizeram a grandeza da Pátria e desfiles comemorativos de nossa Independência.

O respeito às autoridades constituídas, bem como à lei e à ordem vigentes, advém do entendimento, por parte da Família Imperial, de que a restauração da Monarquia Constitucional não pode ser feita sobre as ruínas do País. Mas, ao contrário, ao pedirmos as contas à República, devemos por nas conchas da balança não só os sacrifícios – e sabemos que são muitos! – que ao Brasil ela tem pedido, mas também os serviços que tem podido prestar aos brasileiros.

A Monarquia, afinal, não é um partido, é uma solução nacional que necessita de homens e mulheres que compreendam nossos problemas e conheçam suas soluções, e de instituições que permitam a esses indivíduos realizar seus programas. E cremos que as possibilidades que, neste início do ano de 2019, vêm se descortinando diante do Brasil, poderão levar à restauração do regime monárquico muito antes do que pareceria à primeira vista, a fim de que, através da formação de uma sociedade autenticamente cristã e monárquica, nosso País venha a ser realmente, e sempre mais, a Terra de Santa Cruz.

Acompanhou o Príncipe Imperial durante a solenidade de posse do Ministro Araújo o jornalista Senhor Nelson Barretto. Também agradecemos ao Conselheiro Alan Coêlho de Séllos, Subchefe do Cerimonial do Ministério das Relações Exteriores, por recepcionar Sua Alteza durante sua estadia no Palácio Itamaraty e o Primeiro Secretário Marcus Henrique Paranaguá, descendente do Marquês de Paranaguá e amigo pessoal do Príncipe Imperial, atualmente servindo na Embaixada do Brasil na Argentina, por nos enviar algumas das fotografias que acompanham esta publicação.

Fonte: Pro Monarquia – Casa Imperial do Brasil

Print Friendly, PDF & Email

Facebook Comments

Comments are closed.