Antigos moradores da cidade de São Lourenço das Minas Gerais contam que dentro do Parque das Águas paira um intrigante mistério. O Parque abriga o grande segredo da juventude eterna. Quem ousou beber daquelas águas além de permanecer jovem e bonito como se conservado em formol ainda viveu por mais de 100 anos!

Tudo começou, de acordo com os anciãos da região, após a descoberta das águas. Todos os que consumiram habitualmente as águas foram saudáveis e longevos; além de esbanjar uma beleza estonteante e uma disposição invejável. As mulheres, acreditem se quiser, ficaram tão bonitas quanto a “Dona Beja”! (*)

Bastava um golinho toda semana daquelas águas de enxofre e ferrugem para nunca mais envelhecer.

E daquelas águas até hoje se diz:

“o gosto é forte e o milagre também…”

O Parque das Águas de São Lourenço conta com duas fontes de água sulfurosa: Sulfurosa I (Fonte Jaime Sotto Mayor – Parque I) e Sulfurosa II (Parque II). Quem já as experimentou comenta sobre o cheiro e gosto fortes demais. Na verdade, isso deve-se à presença de enxofre.

O motivo pelo qual fontes de água sulfurosa são consideradas verdadeiras fontes da juventude é o fato dessa água ser rica em enxofre. Enxofre e sais de enxofre presentes na água sulfurosa são responsáveis pelos resultados “miraculosos”.

Estudos demonstram que o enxofre é fonte natural da juventude uma vez que elimina processos alérgicos da pele, problemas dermatológicos como inflamações, infecções e intoxicações, atuando no equilíbrio dos níveis de colágeno, o que justifica a melhora do aspecto da pele como um todo. Os efeitos são realmente benéficos para a pele. O enxofre estimula a eliminação de células mortas e, por isso, está de fato associado ao rejuvenescimento. A relação com o colágeno é o outro fator crucial. O colágeno é uma proteína das mais fundamentais na constituição extracelular e do tecido conjuntivo. A deficiência dele acarreta problemas de má-formação óssea, rigidez muscular, inflamação nas juntas e doenças cutâneas. Borrifar, esfoliar ou limpar o rosto com água sulfurosa limparia a pele e combateria a oleosidade, o que explica o fato de inflamações e infecções não progredirem e/ou serem rapidamente curadas.

Juntamente com as fontes de água sulfurosa estão as fontes de águas ferruginosas: Fonte Ferruginosa e Fonte Primavera (ambas no Parque I) e que por serem ferruginosas atuam na disposição, ajudando a diminuir o cansaço, combatendo tanto a anemia quanto a anorexia, o que promove um bem-estar semelhante à de um jovem. A diferença nas fontes ferruginosas é que a Primavera teria um teor (e assim sabor) mais forte, atuando mais na prevenção e redução da fadiga.

Animador?

O caso é que isso não é tudo. Sobre as águas de São Lourenço, ainda há muito mais a ser dito. E, uma grande curiosidade que tem tudo a ver com a beleza é certamente a existência da Fonte Vichy.

Vichy é o nome de uma outra fonte que existe dentro do parque. E significa muito para todo cidadão são-lourenciano, pois a fonte apresenta uma água com propriedades físico-químicas alcalina somente sendo encontrada em dois lugares do planeta: Na Fonte Vichy em São Lourenço, Minas Gerais (Brasil) e na Fonte São Lourenço em Vichy, na França.

As propriedades alcalinas dessa água são de tanta importância na França que são utilizadas na fabricação de artigos de cuidados com a pele desde dermocosméticos até tratamentos faciais como hidrantes, clareadores, protetores solares e até fortificantes para a pele cujo nome é… “Vichy”! O forte da marca é a proposta anti-envelhecimento, e seu mais famoso item é o Hidratante Facil Vichy Minéral 89. Aliás, na França existe um laboratório com a finalidade de desenvolver produtos a partir da água termal de Vichy. É… Os franceses sabem como aproveitar as riquezas naturais a seu favor… Uh la la!

Todas as informações a respeito das classificações das águas encontram-se devidamente previstas e regulamentadas no Código de Águas Minerais do Brasil.

Quanto à lenda… Só indo a São Lourenço para comprovar… Até mesmo porque essa não é a única lenda relacionada ao parque…

(*) personagem da região de Minas que, segundo consta, existiu de verdade e teria ficado famosa por sua incomparável beleza e por não envelhecer nunca.

Todas as fotos por Clarissa Xavier Machado.