Quem foi Renato Russo

“Quero colo vou fugir de casa”, essa frase da canção “Pais e filhos” com certeza marcou várias gerações e momentos nas vidas das pessoas. Tempo onde se havia musica brasileira de verdade.

Renato Manfredini Júnior (1960-1996) nasceu no Rio de Janeiro, no dia 27 de março de 1960. Filho de funcionário público viveu dois anos nos EUA por conta de uma transferência profissional de seu pai. As influências que adquiriu naquele lugar foram determinantes em sua futura carreira de músico.

Um gênio musical

Polêmico, genial e acionário, Renato Russo marcou a arte brasileira com suas músicas com letra e melodias (bons tempos), junto à Legião Urbana.

Porém mais do que impactar a sua geração, estas mensagens cantadas continuam ecoando suas letras anarquistas.

Mas donde vem este talento para escrever histórias e musicá-las? Isto o próprio Renato Russo respondeu, quando perguntado pelos fãs como era possível desenvolver um trabalho artístico: “uma boa ideia, rapazes, é LER LIVROS”.

Exato: ao ser um grande músico, ele também foi um grande leitor. E isso se percebe em suas referências literárias. Gente do calibre de Aldous Huxley, Oscar Wilde, George Orwell, Herman Hesse, J.R.R. Tolkien, entre outros.

Nesta carta, divulgada na internet há alguns anos, Renato Russo revela as suas referências.

Os livros da lista:

Zen e a Arte de Manutenção de Motocicletas, de Robert Pirsig.

 A Montanha Mágica, de Thomas Mann.

Admirável Mundo Novo, de Aldous Huxley.

Histórias de Fadas, de Oscar Wilde.

A Revolução dos Bichos, de George Orwell.

Capitães de Areia, de Jorge Amado.

Encontro Marcado, de Fernando Sabino.

O Apanhador no Campo de Centeio, de J.D. Salinger.

Discurso da Servidão Voluntária, de Etienne de la Boétie.

O Senhor dos Anéis, de J. R. R. Tolkien.

Siddharta, de Herman Hesse.

Demian, de Herman Hesse.

Narciso e Goldmund, de Herman Hesse.

O Lobo da Estepe, de Herman Hesse.

Histórias Extraordinárias, de Edgar Allan Poe.

Fundação, de Isaac Asimov. 1984, de George Orwell.

Outros autores:

Júlio Verne. Fernando Pessoa. Carlos Drummond de Andrade. Colin Wilson
Outros livros: O Vampiro Lestat, de Anne Rice. Feliz Ano Velho, de Marcelo Rubens Paiva.

Legião Urbana 

Legião Urbana foi uma brasileira de rock fundada na cidade de Brasilia no ano de 1982 por Renato Russo e Marcelo Bonfá. A banda também contou com Dado Vila Lobos e Renato Rocha, em sua formação clássica.

Ativa até o ano de 1996, encerrou suas atividades após a morte de Renato, seu vocalista e letrista, em 11 de outubro de 1996. O grupo possui uma discografia de 8 álbuns de estúdio; 3 compilações e 6 álbuns ao vivo (sendo 5 com a presença de Renato Russo). Em dados apurados pelo Pro-Música Brasil (ABPD), o Legião Urbana soma um total de mais de 25 milhões de discos vendidos (em uma média de 250 mil por ano), sendo o segundo grupo musical brasileiro que mais vendeu discos na história.

A banda Legião Urbana participou da efervescência do rock brasileiro dos anos 80. Entre as músicas mais tocadas nas rádios e na televisão, a Legião Urbana sempre estava entre as cinco primeiras. Os álbuns mais importantes são “Legião Urbana 2” (1986) e “Quatro Estações”(1989). Entre seus sucessos destacam-se “Será” (1985), “Eduardo e Mônica” (1986), “Que País é Esse” (1987), “Pais e Filhos” (1989), entre outros.

Renato Russo iniciou a carreira solo em 1993 e no ano seguinte lançou “The Stonewall Celebration Concert” (1994), em seguida “Equilíbrio Distante” (1995), interpretando canções italianas, e “O Último Solo” (1997).

Renato Russo faleceu no Rio de Janeiro, no dia 11 de outubro de 1996, em decorrência da AIDS, doença que foi diagnosticada em 1989.

Créditos de imagem: Renato Russo durante um show. Site Renato Russo. Autor desconhecido.

Revisão e edição de Luiz Gustavo Chrispino.

Print Friendly, PDF & Email

Facebook Comments

Comments are closed.