Benedicte Bjørnland Diretora dos serviços de inteligência da Noruega alerta empresas de telecomunicação que operam com a chinesa Huawei

A Noruega é mais um país que estuda banir a Huawei de seu território, seguindo exemplos de  Estados Unidos, Austrália, Reino Unido e Japão, a razão disso é uma questão se segurança nacional, sendo também que o fato da prisão da diretora financeira e filha do CEO da companhia, Meng Wanzhou, pode complicar ainda mais a situação da empresas no país.

Photo: (AP Photo/Andy Wong)

A intenção do governo norueguês é de que a Huawei seja proibida de construir e instalar novas infraestruturas para redes 5G. A informação foi divulgada pelo ministro da Justiça, Segurança Pública e Imigração, Tor Mikker Wara. Segundo o político, a proibição acontece para garantir a segurança nacional, reduzindo o risco de vulnerabilidades potenciais: “Compartilhamos as mesmas preocupações dos Estados Unidos e da Grã-Bretanha. Trata-se de espionagem de indivíduos e atores públicos na Noruega. [O banimento] é prioridade máxima”. Tor Mikker Wara, ministro nogueguês.

Caso a sanção seja realizada por parte da Noruega, a maior prejudicada seria a Telenor, maior operadora do país, que atua em outros países europeus e na Índia.

A empresa colabora com a Huawei desde 2009 e teria seus negócios afetados com a decisão. A própria Telenor e a concorrente Telia não apenas utilizam as infraestruturas e equipamentos da Huawei para o 4G, mas também estão envolvidas na experimentação do novo padrão.

A resposta da Huawei Noruega, veio através do responsável por segurança cibernética, Tore Orderloekken, que explicou que no país escandinavo há “fortes necessidades de segurança”. Segundo o porta-voz, a companhia chinesa continuará “a ser aberta e transparente, oferecendo testes e verificações aprofundadas. equipamento para provar que os produtos fornecidos para a rede 5G na Noruega são seguros”.

Prime Minister Erna Solberg and China President Xi Jinping.Photo: Heiko Junge / NTB scanpix

China rejeitou as acusações de espionagem contra a Huawei apresentadas pela Noruega.

A embaixada da China em Oslo rejeitou na última terça-feira (5) as acusações contra a companhia de tecnologia Huawei. O governo da Noruega acusou a empresa chinesa de espionagem. Entretanto, a sede diplomática chinesa na capital norueguesa as qualificou de “ridículas”.

O serviço de inteligência interna na Noruega (PST) apresentou a denúncia em seu relatório anual. O documento, publicado na última segunda-feira (4) indica as tentativas de espionagemrealizadas por países como Rússia e China.

Segundo a diretora do PST, Benedicte Bjørnland, existe “uma distância muito pequena entre um ator comercial como a Huawei e o regime chinês”.

“Um ator como a Huawei será vulnerável às influências de seu país de origem, enquanto a China continua tendo uma lei sobre informação que obriga pessoas, entidades e empresas privadas a cooperar”, explicou Bjørnland em uma coletiva de imprensa.

Por sua vez, a embaixada chinesa na Noruega negou as acusações. “A China não representa nenhuma ameaça para a segurança da Noruega”, indicou a sede diplomática em seu site, “É ridículo para o serviço de inteligência de um país fazer avaliações de segurança e atacar a China com uma linguagem puramente hipotética”.

Além disso, a embaixada salientou como a China “se opõe e combate sistematicamente todas as formas de ciberespionagem e de ataques”.

“As leis e regulamentações chinesas não são um mandato a uma instituição, seja qual for, para obrigar as empresas a colocar em práticas as ‘backdoors’”, explicou a sede diplomática, em referência a Huawei.

 


Saber mais:

Norwegian Security Council raises alarms about China business trip

 

Facebook Comments

Comments are closed.