Literatura de Cordel é uma manifestação literária da cultura popular brasileira, típica do norte-nordeste do país especialmente em Pernambuco, Alagoas, Paraíba, Pará, Rio Grande do Norte e Ceará. É uma herança lusitana, pois foi trazida pelos portugueses ao Brasil em fins do século XVIII. Na Europa a Literatura de Cordel já existia desde o século XII, principalmente na Espanha, Itália e França, e era utilizada como forma de popularizar um importante movimento literário chamado Renascimento.

A literatura de cordel tem a função histórica de informar e, ao mesmo tempo, divertir os leitores, e a sua forma de apresentação mais conhecida é a dos livretos com capas em xilogravura pendurados em barbantes ou cordéis (cordas).

O Cordel abraça temas como cultura popular, história do país, folclore, crítica social e nacionalismo. Utiliza-se de uma linguagem acessível à população, muito humor e até sarcasmo. Apesar da informalidade lingüística, é extremamente meticulosa na forma escrita com métrica e rimas. O Brasil conta com cerca de 4 mil cordelistas em plena atividade; dentre eles os mais conhecidos são: Apolônio Alves dos Santos,Cego Aderaldo, Cuica de Santo Amaro, Guaipuan Vieira, Firmino Teixeira do Amaral, João Ferreira de Lima, João Martins de Athayde, Manoel Monteiro, Leandro Gomes de Barros, José Alves Sobrinho, Homero do Rego Barros, Patativa do Assaré (Antônio Gonçalves da Silva), Téo Azevedo, Gonçalo Ferreira da Silva e João de Cristo Rei.

Ao longo dos anos, há diversos eventos e exposições no Brasil sobre o Cordel, como a EXPOCORDEL. Eventos em academias literárias também são habituais. Em novembro do ano passado, por exemplo, a Academia Mineira de Letras recebeu a exposição: Literatura de Cordel em Portugal.

Em Portugal, até os dias atuais, existe o FESTCORDEL, um lindo festival dedicado a esta literatura de expressão tão relevante para o nacionalismo e para o regionalismo. FestCordel acontece anualmente entre os meses de fevereiro e maio.

A produção é grande, além de dicionário, dossiês, pesquisas, concursos e várias antologias, algumas academias como a Academia de Cordel do Vale do Paraíba, na Paraíba, conta com um programa de rádio, e ainda com o apoio do governo da Espanha.

A literatura de cordel já conta com um museu próprio: o Museu do Cordel, em Caruaru, Pernambuco.

No dia 1º. de agosto é comemorado o dia do poeta da Literatura de cordel.

A Literatura de Cordel é uma ferramenta incrível e fonte de propagação de conhecimento, especialmente o histórico.

Algumas Academias de Literatura de Cordel no Brasil:

Academia Brasileira de Literatura de Cordel (ABLC) – Rio de Janeiro

Academia Norte-Rio Grandense de Literatura de Cordel – Rio Grande Do Norte

Academia Sergipana de Literatura de Cordel – Sergipe

Academia Piauiense de Literatura de Cordel  – Piauí

Academia de Cordel do Vale do Paraíba – Paraíba

Academia Alagoana de Literatura de Cordel – Alagoas

Academia Caruaruense de Literatura de Cordel – Pernambuco

Saiba mais sobre a Literatura de Cordel:

Academia Brasileira de Literatura de Cordel

Blog da Academia Brasileira de Literatura de Cordel

Academia Norte-Rio Grandense de Literatura de Cordel

Cordel Paraíba

Casa de Rui Barbosa

FestCordel

Cordel do Ceará para o mundo

Academia Mineira de Letras – Exposição Literatura de Cordel em Portugal

Crédito da imagem: Terra Nova

Print Friendly, PDF & Email

Facebook Comments

Comments are closed.