Estamos no Tempo da Pré-quaresma, mas o que é a Pré-quaresma? É a época que antecede a Quaresma e tem início no Domingo da Septuagésima estendendo-se até a Quarta-feira de Cinzas (que é o início da Quaresma). A Pré-Quaresma é parte da liturgia das igrejas Católica, Luterana, Anglicana e Ortodoxa.

São três os importantes tempos de preparação para os cristãos:

Advento: preparação para o Natal

Septuagésima: pré-quaresma – preparação para a Quaresma

Quaresma: preparação para a Páscoa

A Quaresma concerne jejum, trazendo à memória o jejum de Cristo no deserto), logo, uma preparação espiritual para a Semana Santa e o início da Páscoa, isto é, um chamado para reflexão acerca da observância aos princípios e valores cristãos. Sob este prisma, trata-se de efetivamente de um tempo de reflexão sobre a vida de Cristo e sobre a Palavra de Deus.

Em muitos países, passou-se a chamar o período da Pré-Quaresma de Carnaval, um festival em que pessoas saíam às ruas para festejar e trajavam roupas coloridas quase circenses. De acordo com historiadores isso era comum na Grécia antes de Cristo, e era uma festividade de agradecimento aos deuses pela farta colheita, garantia de que alimento não faltaria.

Depois de Cristo, com a elaboração do Calendário Litúrgico Cristão e a divisão dos tempos anuais, a Pré-Quaresma coincidiu com o antigo festejo grego, causando confusão.

Séculos mais tarde, em Veneza, na Itália, um popular desfile com baile de máscaras ficou famoso no mundo inteiro (século XVI). O objetivo desses desfiles era que a nobreza pelo menos uma vez por ano pudesse disfarçar-se e andar normalmente em meio ao povo. Na Inglaterra, na Era Vitoriana (Século XIX) os bailes à fantasia em grandes salões com músicas alegres se tornaram um atrativo disputado: todos desejavam participar dos bailes. Na França, Paris não poderia ficar para trás, a cidade luz adotou com toda pompa e glamour um modelo de baile de máscaras e de fantasias em nível de exportação que conquistou rapidamente a região francesa de Nice. Dali em diante Toronto apresentou sua versão canadense. E de Toronto a novidade seguiu para os Estados Unidos. No Brasil, estudiosos apuraram que o festival de máscaras e fantasias chegou trazido pelos portugueses (Século XIX) e que a corte portuguesa tentou adaptar os bailes de Paris ao clima e aos costumes do Rio de Janeiro. A composição de canções alegres para o festival teve início em 1890 com a musicista e intérprete brasileira Chiquinha Gonzaga. Com o passar dos anos o festival no Brasil adotou outros conceitos e afastou-se bastante do festejo original.

A partir da década de 1940 muitos países deixaram de comemorar o chamado “festival de carnaval” como as Filipinas, por exemplo, onde atualmente é celebrada a Festa ao Menino Jesus. Outros países jamais celebraram esse tipo de festival em efetivo, como é o caso dos países nórdicos, majoritariamente protestantes.

Note-se, pois, que sob tais aspectos, cristãos vivem a Pré-Quaresma, a celebração do Tempo Septuagesimal e acerca disso não há equívocos. O tempo não se confunde com o antigo festejo grego tampouco com os badalados bailes de máscaras de outrora. Septuagésima é tempo de meditação, retiro e oração; um momento necessário de conhecer-se (olhar para si) e conhecer a Deus (comunhão com o Criador).

Créditos da imagem: Padres e Irmãos Paulinos

Comments are closed.