Dando prosseguimento a série: “50 máquinas que mudaram o rumo da história”, vamos falar da Plaina mecânica de Whitworth.

As duas máquinas que dominaram o inicio da indústria de ferramentas foram o torno mecânico a plaina mecânica, desenvolvida por Joseph Whitworth (1803-1887).

As plainas manuais para trabalhar madeira sempre existiram, porém para deixar superfícies de metal perfeitamente planas é um trabalho mais difícil. Era possível realizar o trabalho em metal, mas teria que usar métodos diferentes e qualidade do serviço dependeria muito da habilidade do artesão, mas mesmo assim não era possível conseguir alcançar o nível de precisão e padronização para produção em massa, somando todos os fatores com a mão de obra deixava os artigos bastante caros.

Não se tem muita informação quanto à história da plaina mecânica, embora existam várias versões para sua invenção e aperfeiçoamento. Nos primeiros modelos fabricados, a peça movia-se sobre uma mesa debaixo de um cortador suspenso, onde a mesa movia-se para frente apara trás em linha reta, permitindo ao cortador remover uma seção da superfície de metal, onde o cortador se deslocava para um lado que fizesse um corte paralelo idêntico ao anterior.

Plainas era utilizadas para produzirem superfícies planas e precisas para componentes de máquinas como: motores a vapor, locomotivas e mecanismos têxteis.

 Whitworth não foi o primeiro s desenvolver uma plaina mecânica, mas seu modelo foi reconhecido como um dos melhores já produzidos, pois além de apresentar uma melhor precisão em relação aos seus antecessores e seus concorrentes era mais fácil de operar.

“O grau de precisão estrutural e acabamento mecânico que (o Sr. Whitworth) aplicou a plaina mecânica provavelmente nunca será superado.” The Engineer, 1863.

Referência Bibliográfica

CHALINA, Eric. 50 Máquinas que mudaram o Rumo da História. Tradução de Fabiano Morais. Rio de Janeiro. Sextante. 2014.