Após passagem do ciclone, país busca administrar impactos

O sofrimento do povo de Moçambique depois da passagem do ciclone Idai aumenta cada vez mais.


Depois do ciclone Idai, a cidade de Beira vive um surto de cólera  (Federação Internacional da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho via REUTERS/Direitos reservados)

As autoridades de Moçambique disseram hoje (27) que há um surto de cólera na Beira.

Cinco casos foram confirmados. Segundo a Direção Nacional de Saúde, as mortes ocorreram no bairro da Munhava, o mais populoso de Beira, na província de Sofala.

O receio é que, após esses casos de cólera confirmados em laboratório, a doença se espalhe.

Há 2.700 casos identificados de diarreia na região, mas ainda sob investigação.

As autoridades de Moçambique trabalham também com a possibilidade de outras doenças se alastrarem no país, como tifo e malária.

O país busca sobreviver aos impactos da passagem do ciclone Idai, cuja força dos ventos atingiu 200 quilômetros por hora, provocando a devastação de vilarejos inteiros, causando mortes e isolando pessoas. O número de mortes supera 446.

                                                                                  
*Com informações da RTP, emissora pública de televisão de Portugal

Fonte: EBC

Comments are closed.