Hoje acordei cedo e fui dar uma passada nas “lembranças” do Facebook e me deparo com um vídeo com um comentário do Saudoso jornalista Ricardo Boechat, falando da queda (a primeira) da Ciclovia Tim Maia (o que acho foi batizada errado, pois, Tim Maia aguentava bem a Ressaca, a ciclovia não), mas, me remete a perguntar, sobre a tragédia dos prédios na Zona Oeste aqui do Rio. Não houve abalo sísmico, não teve ação do mar, construir uma casa no meio de uma floresta é uma coisa, VÁRIOS PRÉDIOS? Isso só mostra que o Poder Paralelo criminoso no Rio manda mais que o governo Municipal e Estadual, e quem paga, são as pessoas que sonham com uma casa e morrem por cairem sobre elas tais construções irregulares, por que o Poder Constituído não fez o dever de casa, PROIBIR O LEVANTAR DOS PRÉDIOS ANTES DELES SEREM CONSTRUÍDOS EM DEFINITIVO.

A quem fale: Como iremos conseguir isso? Começou a construção? É irregular? E o governo, quando quer, faz o levantamento de casas irregulares para cobrarem seus ricos Impostos (IPTU). Por que isso também não é feito nessas comunidades sob o poder do crime organizado (pois, acabam sendo mais organizados que o poder constituído) por que não mandar a polícia para lá barrar a construção antes da primeira pedra ser assentada? Mas, esperam meses o prédio subir para depois quererem fazer algo? Esses prédios não surgem do nada do dia para noite, nem com centenas de homens isso ocorreria, pois, precisa de ter tempo para tal, e a subida de dezenas de caminhões com material de construção não liga nenhum alerta?

Como o Jornalista bem lembrou nesse vídeo que estava vendo, o mar já estava lá a Bilhões de anos, quem não estava eram a Ciclovia, o Governo Constituído e os contribuintes. O Morro esta lá a Bilhões de anos, quem não estava lá eram a Milícia, o Governo Constituído e as pessoas que compram casas irregulares em morros. Muita coisa errada. Qual é o ponto de encontro das duas realidades? O GOVERNO CONSTITUÍDO, este está nas duas tragédias, numa? Fez o dever de engenharia errado, na outra? Não fez o dever de fiscalização esperado.

O Brasil precisa ter um CHOQUE DE REALIDADE para poder modificar-se. Pois, continua sendo uma nação onde poderosos, sejam oficiais ou oficiosos, mandam e o povo, aquele que paga os impostos, produz as riquezas, gera o dinheiro público, esse ainda é visto apenas como gado de corte para quem quer mandar.

Essa é a dura realidade do Brasil, um país rico, em todos os sentidos. Mas, pobre, por estar nas mãos de corruptos e canalhas, e triste, por ter um povo passivo de mais, que só se manifesta quando algum maluco midiático puxa a manifestação, como vemos ocorrer nas diversas oportunidades de manifestações populares.

As pessoas estão mais preocupadas com o Pão e o Circo que com suas próprias vidas. Uma migalha Lançada para eles, mitiga a fome desse povo, e como vaquinhas de presépio, preferem ficar a frente das televisões ou nas redes sociais, gritando, berrando, falando impropérios, mas, fazer uma greve geral do povo, tipo, ninguém mais paga impostos, ninguém mais paga contas abusivas, ninguém mais se submete ao poder, seja paralelo ou oficial, nesse dia, a massa de mais de duzentos milhões e REAIS DONOS DO PODER, vão ter seus direitos exigidos e garantidos. Mas, enquanto acharem que Queda de Ciclovia oficial e de prédios não oficiais são apenas tragédias, que deve ser chorada, os políticos corruptos e agentes públicos corruptos deixarão seus bolsos abertos para a entrada de dinheiro do povo, via impostos que nos levam na “mão grande” e via corrupção, desses poderosos não oficiais, pois, é impossível não ver claramente as coisas erradas acontecerem e nada ser feito, alguém está levando “um por fora” e parafraseando o grande político eternizado pelo saudoso Chico Anisio, JUSTO VERÍSSIMO – EU QUERO QUE O POVO SE EXPLODA, EU QUERO É ME ABOLETAR.

Rio 23 de Abril de 2019 – Dia de São Jorge – Livrai-nos desses “Dragões da Maldade”, meu Santo.

Luiz Gustavo Chrispino

PS: foto usada nesta matéria foi retirada da Internet, pertencente a Revista veja – Abril.com

Comments are closed.