A corrida aconteceu no Circuito da Catalunha e o grid de largada foi liderado por Valtteri Bottas, seguido de Hamilton e Vettel.

A primeira volta deu uma prévia de quão disputada essa prova seria. Lewis Hamilton em um piscar de olhos já apareceu lado a lado de Bottas, com Vettel colado em ambos, onde quase saiu do traçado na primeira curva. Em seguida Pierre Gastly saiu totalmente da pista na curva 3.

Em 12/66, Leclerc ultrapassou Vettel por fora ao fazer a curva e assumiu a P4. Mas, algumas voltas à frente, Vettel retoma a posição de forma agressiva. A tensão entre os parceiros de equipe parece só aumentar.

Danii Kvyat fazia ultrapassagens excelentes, e ganhava destaque.

Mais à frente, na curva 2, Lando Norris entrou por dentro de Lance Stroll e sua roda dianteira direita serviu de rampa para a roda traseira esquerda de Stroll e se chocaram. Ambos os pilotos abandonaram em seguida.

A partir da volta de número 53/66, a corrida pegou fogo. Foi o momento que lembrou uma largada: todos os pilotos estavam juntos, como um trem com seus vagões. Na curva 1, Magnussen (Haas) tomou a P7 de Grosjean (Haas), e como resposta, Romain pulou a curva 2, passou por fora e recuperou a posição tomada pelo seu parceiro de equipe. A trapaça não deu certo pois a perdeu segundos depois.

Ao faltarem 9 voltas para a bandeira quadriculada, Grosjean repetiu a trapaça de pular a curva 2 na tentativa de ultrapassar Magnussen, e falhou novamente. Em seguida, pela terceira vez, fez o mesmo com Carlos Sainz mas obteve sucesso ao voltar para o traçado à frente do piloto Mclaren, e assumiu a P8. Na volta seguinte, Sainz recuperou a posição.

De forma brilhante e precisa, Lewis Hamilton vence o GP da Espanha, seguido de seu parceiro de equipe Valtteri Bottas e de Max Verstappen.

A próxima etapa será o GP de Mônaco, dia 26 de maio.

Comments are closed.