Muitos não sabem, mas 13 de maio é comemorado o dia da Lei Áurea – lei que extinguiu a legalidade da escravidão no Brasil.
No dia 13 de maio de 1888, uma mulher colocava fim à escravidão no Brasil.
A Princesa Isabel, a Redentora, concretizava enfim um sonho iniciado por Dom Pedro I e Dona Leopoldina, junto de José Bonifácio.
Este ato de bravura que custou o trono da Princesa Isabel, e que causou o furor da elite escravista da época, culminou no fatídico golpe militar que deu início a República no Brasil.
Existe um cartaz divulgado entre 1888 e 1889 que reproduz a seguinte frase: “Abaixo a Monarquia abolicionista! Viva a república com indenização!”
Os donos de escravos queriam que a Coroa os indenizasse, mas a Coroa se recusou a indeniza-los por motivos óbvios. Em contrapartida, a Coroa estava se preparando para iniciar um processo de integração dos ex escravos à sociedade, dando-lhes também terras para que pudessem produzir e fazendo uma espécie de reforma agrária.


Os recursos para isso viriam das posses de nobres fiéis ao Imperador e a Princesa Isabel, que sempre foram abolicionistas.
Mas não houve tempo suficiente, porque a Monarquia viria a ser derrubada no ano seguinte com o apoio irrestrito dos ex donos de escravos inconformados, colocando fim ao sonho da Princesa de oferecer integração e dignidade aos ex escravos, que ficaram completamente esquecidos pelo governo republicano, e dando origem à primeira favela do Brasil, no Rio de Janeiro, conhecida como Morro da Providência.
A república em resumo foi um verdadeiro fracasso, destruiu a esperança dos brasileiros, e instituiu a cultura dos privilégios e jeitinhos corruptos além de ter marginalizado a população negra.

Contudo, a mídia e movimentos negros têm injustamente atacado a instituição monárquica e a pessoa da princesa Isabel pela existência da escravidão no Brasil.
Hoje, grupos desonestos exaltam a imagem de personalidades perversas como o famoso e controverso Zumbi dos Palmares, um homem mau que também tinha seus próprios escravos, perseguia escravos fugidos e mantinha-os aprisionados em seus quilombos e matando a outros.

Embora se queira construir uma falácia de que a monarquia era escravista, a verdade é clara, nossos monarcas do passado eram todos contra a escravidão e só não.a abolida antes, em razão do contexto econômico e das forças políticas da época.

Vá, Pensiero. ” Canção dos Escravos”.
Dá Ópera Nabuco, de Giuseppe Verdi.
Imperial Filarmônica do Brasil.

Comments are closed.