Embora divulgado amplamente pelas redes sociais e confirmado por diversos parlamentares, que provavelmente tinham a expectativa que ocorresse a Consagração do Brasil ao Imaculado Coração de Maria, o que se viu ontem foi uma homenagem a Nossa Senhora, porém sem o brilho do rito necessário a uma Consagração, procedimento litúrgico que obedece a um processo formal e exige compromisso espiritual dos dirigentes de um país que busca o crescimento espiritual da população e a proteção efetiva da Mãe de Deus.

o Palácio do Planalto recebeu o bispo da Administração Apostólica São João Maria Vianney, Dom Fernando Rifam, bem como diversos grupos católicos e marianos para consolidar a Consagração, que é feita por meio de um juramento e assinatura de compromisso, o que não ocorreu, segundo depoimento da deputada federal Chris Tonietto (PSL-RJ): “Foi uma linda homenagem a Nossa Senhora, e devemos continuar em oração pelo Brasil e pela consagração, mas ela ainda não aconteceu”. Confira na íntegra o vídeo da deputada no final da matéria.

O clamor pelas consagrações tem fundamento nas próprias aparições de Fátima e Lourdes. É sabido que uma parte importante do segredo de Fátima tem a ver com a ex-União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS). Na terceira aparição, em 13 de julho de 1917, a “Senhora mais branca do que o sol” veio “pedir a consagração da Rússia” ao seu Imaculado Coração. Se assim se tivesse feito, esse país ter-se-ia então convertido e teria havido paz, mas como assim não aconteceu, espalhou os seus erros pelo mundo, promovendo guerras e perseguições à Igreja e, por isso, os bons foram martirizados, o Santo Padre teve muito que sofrer e várias nações foram aniquiladas, perdendo a sua independência e liberdade.

Depois de ler a terceira parte do segredo de Fátima, São João Paulo II decidiu viajar a Portugal no dia 13 de maio de 1982 e consagrar não só a Rússia, mas também o mundo inteiro ao Imaculado Coração de Maria.

Este ato, entretanto, não satisfez a consagração solicitada pela Virgem Maria – pois também deviam participar os bispos de todo o mundo.  Segundo o Cardeal Tarcísio Bertone, portanto, “em 25 de março de 1984, na Praça de São Pedro, recordando o mandato pronunciado por Maria, o Santo Padre em união espiritual com os bispos do mundo, confiou todos os homens e mulheres e todos os povos ao Imaculado Coração de Maria”. 

No caso do Brasil, a consagração seria uma renovação de votos, pois em 1946 o Brasil já havia feito sua consagração, conforme registrado nos escritos do dr. Plínio Corrêa de Oliveira, presente na primeira Consagração:

“Na sexta-feira pp. (31 de maio) realizou-se um dos atos de piedade mariana de maior significação na vida religiosa do Brasil. Na presença de Sua Emcia. D. Carlos Carmelo de Vasconcelos Mota, Arcebispo Metropolitano de São Paulo, e de considerável número de Arcebispos e Bispos do Brasil, do Exmo. Sr. Presidente da República, e dignatários do Estado, S. Emcia. o Cardeal Arcebispo do Rio de Janeiro D. Jaime de Barros Câmara consagrou a nossa pátria ao Coração Imaculado de Maria.

Esse ato foi precedido de numerosas consagrações locais, em que Bispos Diocesanos consagraram suas circunscrições ao Coração de Maria.

Como se sabe, manifestando-se em Fátima aos pequenos pastores, Nossa Senhora exprimiu o desejo de que todo o orbe cristão se consagrasse ao seu Puríssimo Coração, como meio de evitar as catástrofes contemporâneas.

Atendendo a este apelo, os Exmos. e Revmos. Srs. Bispos do Brasil resolveram efetuar, no dia consagrado à Medianeira de todas as graças, a consagração do Brasil.

É supérfluo declarar com quanta devoção o Brasil católico se associou a este belíssimo gesto. É da proteção de Nossa Senhora que todos aguardamos a salvação do Brasil, dos inumeráveis males que nos ameaçam no momento e, particularmente, do perigo do fascismo vermelho de Moscou”.

Assim como no caso da Rússia, é necessário não apenas consagrar-se como também reconsagrar-se periodicamente para confirmar os votos e alertar as novas gerações sobre o mal que constantemente paira sobre todos os povos. Esperamos em Deus Pai, seu filho Jesus Cristo e Espírito Santo que iluminem o coração dos nossos governantes e assim que possível retomem a consagração como um compromisso sério e fundamental para garantir a paz.

Fontes:

 

Nossa Senhora de Fátima: afinal, a Rússia foi ou não foi consagrada?

https://pliniocorreadeoliveira.info/LEG_460202_Consagracao_Brasil_Coracao_Maria.htm#.XOVQF_lKiUk