O grid de largada foi liderado por Lewis Hamilton, seguido de Valtteri Bottas e Max Verstappen. A Ferrari não conseguiu uma boa classificação pois Vettel largou na P4 e Leclerc entre os últimos, na P16.

Assim que a corrida começou, Charles Leclerc tentava ansiosamente ganhar posições. Na segunda volta, ultrapassou Lando Norris e algumas voltas à frente Romain Grosjean, e havia conseguido a P12. Tudo ia bem, até tentar ultrapassar Nico Hulkenberg por dentro durante a volta 9/78: Charles bateu com a roda traseira direita na barra de proteção da pista. Ao retomar, o pneu traseiro direito furou e o fez ir aos boxes. A ira de Leclerc era notória pois ele acelerou como se estivesse com todos os pneus cheios, o que prejudicaria o piloto mais tarde.

Na volta 11/78, Hamilton foi para os boxes fazer o pit-stop, seguido de Max Verstappen. Quando Max viu que Hamilton ia voltar para a pista antes dele, jogou seu carro na frente do inglês, em vez de esperá-lo passar, já que Hamilton tinha prioridade. Pela imprudente decisão, Verstappen foi penalizado em + 5 segundos.

Mais à frente, ocorreu algo inédito. Robert Kubica e Antonio Giovinazzi fizeram contato durante a curva 1 e pararam um de frente para o outro, e bloquearam a pista. Atrás vinham respectivamente, Sérgio Perez, Nico Hulkenberg e George Russel, que pararam por um momento mas conseguiram sair do bloqueio. Quando foi a vez de Leclerc, Kubica simplesmente deu ré e bloqueou totalmente a passagem, como uma brincadeira de mal gosto. Após alguns segundos, os pilotos aceleraram e voltaram para a disputa. Se Leclerc já estava furioso com o fato do pneu estourar no começo da corrida, depois disso a situação só piorou.

Duas voltas à frente, Charles Leclerc abandonou por conta de problemas mecânicos, decorrentes da aceleração com pneu furado. Não foi um bom dia para o piloto da Ferrari.

Em mais da metade da prova, Sérgio Perez ficou lado a lado de Kevin Magnussen durante a curva 9 e quase o tirou completamente do trajeto. Mas Kevin se manteve no traçado e ultrapassou Perez em seguida.

Max Verstappen se mantinha na P2, logo atrás de Hamilton. Vettel mostrava dificuldades em se aproximar de Max, mesmo na P3.

Ao faltarem 30 voltas para a bandeira quadriculada, Verstappen começou a deixar Hamilton preocupado, pois estava cada vez mais perto de ultrapassá-lo. A diferença entre os pilotos era de apenas 1 segundo e meio, e só diminuía. Na volta 70/78, Max estava colado na traseira de Hamilton. Era como uma perseguição frenética. Hamilton não sabia mais o que fazer para evitar de perder a posição. Em 76/78, aconteceu o que era de se esperar: na curva 9, Verstappen bateu na traseira de Hamilton, tirou o penta campeão da pista e o fez seguir reto por fora.

Embora tenha sido uma disputa extremamente acirrada entre os dois pilotos, Lewis Hamilton vence o GP de Mônaco, seguido do piloto com maior destaque, Max Verstappen, e Vettel.

A próxima etapa será o GP do Canadá, dia 9 de junho.

Comments are closed.