Talvez para você seu nome seja desconhecido, mas, Elza Cansanção Medeiros, conhecida como Major Elza, nascida no Rio de Janeiro em 21 de outubro de 1921, foi a primeira voluntária para servir na Segunda Guerra Mundial pelo Brasil, se alistou no dia 18 de abril de 1943, logo após terminar o curso de Enfermagem das Samaritanas da Cruz Vermelha.

“Não estou brincando, coronel. Na minha família não tem mais homens que possam lutar, meu pai já está idoso e meu irmão já morreu. Cabe a mim assumir. Estou pronta pra ajudar a acabar com a guerra”

Major Elza em entrevista ao site Velhos Amigos, publicado em 13/01/2016 por Netty Macedo.

Ela atendeu prontamente ao chamado patriótico que a nação urgia quando do torpedeamento dos navios da Marinha Mercante brasileira. A militar dizia que cumpria um dever, porque seu pai, o sanitarista Tadeu de Araújo Medeiros, auxiliar direto de Oswaldo Cruz na campanha contra a febre amarela, já estava com mais de 60 anos e seu único irmão já havia falecido. 

Entre os anos de 1943 e 1944, deu início ao Curso de Voluntárias Socorristas, na sucursal da instituição em Pernambuco. Apresentou-se, mesmo contra a vontade da família, para o serviço ativo do exército brasileiro em 18 de abril de 1943, sendo a primeira voluntária do país para a II Guerra Mundial. Seu trabalho de dividia entre enfermeira e intérprete na Itália.

Participou também da Guerra da Coreia, além de ter sido uma das fundadoras da Associação Nacional dos Ex-Combatentes do Brasil e da Associação de Amigos da Polícia do Exército, do Rio de Janeiro.

Segundo o Comando Militar do Leste (CML), ela recebeu 41 medalhas em sua carreira. Era ainda artista plástica e escreveu livros sobre sua participação na guerra.

Orgulha-se, acima de tudo, por ter sido a primeira enfermeira voluntária da FEB e uma das cinco primeiras a desembarcar, em agosto de 1944, no teatro de operações da Itália.

Artista plástica com produções premiadas em escultura, pintura, tapeçaria, artes cênicas e também cantora de rádio, a múltipla personalidade de Elza Cansanção Medeiros soube, ao longo de todos os papéis que tem representado na vida, dignificar o Brasil não só como heroína de guerra e inquebrantável preservadora da Memória Histórica da FEB, mas, sobretudo, como a aguerrida mulher brasileira.

Ela foi autora de outros livros, além de “Nas barbas de Tedesco”: “E foi assim que a cobra fumou”, “Dicionário de Alagoanês”, “Eu estava lá” e “1…2…Esquerda…Direita…Acertem o passo”, “Mulheres: alicerce de uma pátria forte”, sobre o perfil de 110 personagens femininas cujas vidas foram marcadas pelo pioneirismo.

A Major Elza morreu no dia 8 de dezembro de 2009, no Rio de Janeiro, de complicações de uma fratura no fêmur.

Fontes:

Elza Cansanção. Velhos amigos o site a Maturidade. 2016. http://www.velhosamigos.com.br/publicacao/gente-em-foco/elza-cansancao Acessado em 02/06/2019.

8 De Dezembro Elza Cansanção. Topa Tudo. 2014. http://topatudo.blogspot.com/2014/12/8-de-dezembro-elza-cansancao-medeiros.html Acessado em 02/06/2019.

Comments are closed.