Após mais muito tempo de estudo e obervação descobri outra síndrome muito vista, porém de nome ainda não divulgada e, muitos a tem e nem se quer sabem.

No Brasil esta síndrome já começa nas crianças e assola o país, pois quase todos estão infectados. Porém, há cura.

A racionalidade do ser humano, principalmente o ego materialista que temos hoje e que domina o planeta, nos demonstra que temos dezenas de milhões de doentes que acham que sabem tudo, todos os caminhos, e conhecem tudo que os cercam. Coitados que somos!

Não entendemos que Cristo foi além do filho do próprio Criador, era físico quântico, entendia de átomos numa época em que não havia ciências sofisticadas como hoje. Como também sabia de psicanálise de forma tão profunda, como qualquer indivíduo ou estudioso após sua vinda conseguiu sequer arranhar chegar perto.

O ego inflado com o passar dos anos aumenta a doença do Sabichão, que sabe tudo de economia, política, filosofia, sociologia, ciências, etc.

Os mais doentes se autossabotam e se impedem de enxergar o óbvio, a simplicidade nas coisas e de como o fluxo das leis físicas e quânticas devem ser.

Desta mesma síndrome ora citada decorre outra, a qual ainda estou estudando um pouco e tentando entendê-la, é a síndrome do grupalismo, a qual o indivíduo perde sua identidade própria, não vive intuitivamente, segue os outros, deixa-se levar. Há também outra síndrome que surge aí, a do ego, da ganância, do poder, etc.

Precisamos deixar o mundo morrer, pois o mapa não é o real território. Só porque estamos no mapa, ou o “vemos” não quer dizer que o território será assim, pois o mapa foi escrito por alguém, que por vezes não conheceu tudo, e o escreveu desta forma a qual “vemos” propositalmente ou induzido à isto por interesses por vezes escusos.

O sabichão sabe de tudo, mesmo sem ler nada, sem ir à boas palestras, nem fazer nenhum curso, faculdade ou especialização. Mas, como dito, ele entende de tudo, economia, filosofia, meio ambiente, tecnologia, etc.

Exemplo claro de hoje são as famosas moedas eletrônicas, ou criptomoedas. Um engodo tão grande, vendido como uma coisa boa. Para isto falaremos em oportunidade futura.

Hoje o mundo é terreno, materialista, mesquinho, ideológico, partidário e podre. Enquanto deveríamos pensar em um mundo espiritual, além do material que “vemos”e “pegamos” com a mão.

O brasileiro em especial pensa que ter recursos financeiros, ou mesmo uma faculdade, mestrado ou doutorado, sabe tudo de tudo, mesmo que de outras áreas. É um sabichão nato. Ou seja, estudou um pouco na vida, ou conseguiu muitos bens materiais, pensa que sabe tudo de filosofia, economia, política, saúde, administração, etc. Enquanto a grande maioria não sabe nem que fazer o bem ao próximo é o primeiro passo de qualquer conhecimento ou coisa ganha com o tempo. Menos papo e razão sobre um assunto e mais ação e bem comum, seja para uma pessoa ou para com a sociedade.

Portanto, precisamos de menos papagaios faladores e mais gente colocando a mão na massa, pois sua vida e a dos outros só irá melhorar quando você e os outros fizerem algo de bom sem esperar algo em troca, sem pensar no seu umbigo ou ganhos, que foi o que o Mestre Jesus Cristo demonstrou e ensinou, e mesmo após 2 mil anos ainda não entendemos. Estamos longe do caminho certo para todos.

Ler um livro ou uma dezena lhe faz talvez ter um pouco mais de conhecimento, mas não lhe dá o direito de agir com soberba, ignorância, de forma petulante, diminuindo a ideia ou direito do outro em se manifestar e ou participar do debate ou ações.

A humildade é a maior prova de sabedoria e honra. Quanto mais conhecimento tens, mais deveres terás perante Deus e a sociedade, seja de fazer algo para o próximo ou a própria vontade do Criador, pois ele te deu a capacidade de entendimento, então use seu conhecimento de forma humilde, colabore, seja voluntário e não apenas mais um com a síndrome do Sabichão.

O sabichão se autossabota em quase tudo e nem percebe. Não mostrar sua vulnerabilidade, não querer perder a razão, controle, espaço e afeto são alguns dos fatores que sabotam o sabe tudo, entre outros.

De fato a humanidade está cheia de sabichões, e nem mesmo os leões da selva, crocodilos e outros predadores, mesmo com todo poder de predador, não agem como nós, pois o humano tem uma certa tendência de ego de se achar Deus, mas não age como o Criador, o Todo. Entretanto, deve agir como o Todo, fazendo o bem e ajudando o máximo possível o próximo, pois foi isso um dos maiores ensinamentos do nosso Cristo.

Saber não é ser dono da razão, do conhecimento ilimitado, ou mesmo da opinião dos outros. Da mesma forma que julgueis, serás julgado. Estamos vivendo uma cegueira moral profunda, e o respeito mesmo sendo expert em um assunto é primordial, pois as possibilidades serão ilimitadas, e isto não é relativismo. Como também não quer dizer que não deves defender seus ideais, valores e princípios éticos. Apenas quer dizer que devemos defender sem ofender, sem criar mais guerras, etc., pois o ser humano há 5 mil anos, pelo seu “elevado” conhecimento vem praticando guerra sobre guerra, tudo por dominação e poder, pois “sabe” de tudo, “sabe” o que é melhor para todos e Deus, o Todo. Ledo engano novamente.

Ter um conhecimento determinado, ou saber da verdade e do que é melhor para os outros e não fazer nada, ou se omitir, ou agir de forma corrupta, é o que de pior estás fazendo com seu conhecimento. A ética deve prevalecer, e isto deve começar na educação básica de pré e em sequência. Portanto, quanto mais aprenderes e mais oportunidades o Todo te der, deve usar em prol de todos e não apenas de seu umbigo, seus bens e posses, pois a derrocada de um indivíduo com a síndrome do Sabichão não falha, pode tardar, mas um dia vem, de várias formas. Pensemos!

Vale a pena conferir: A Síndrome da Barata Tonta – clique aqui.

Fonte da imagem: https://www.contioutra.com/sindrome-de-sabe-tudo-o-ego-excessivo-que-impede-o-crescimento/

Facebook Comments

Comments are closed.