Em 2012, Paulo Freire foi nomeado pela esquerda como o patrono da educação brasileira. E, de fato, ele é mesmo. Ele realmente é o patrono da fracassada educação brasileira, a mesma que está nas piores colocações nos ranks internacionais relacionados à educação.

Antes de morrer de infarto, Freire conseguiu plantar no Brasil as sementes cancerígenas que foram regadas por uma horda de vigaristas travestidos de educadores e professores que formaram e continuam formando, milhões de militantes esquerdistas e analfabetos funcionais !
Paulo Freire nunca foi um educador, e sim um teórico político que defendia publicamente a utopia comunista e regimes socialistas.

Resumindo: Paulo Freire não passou de um grande propagandista das ideias marxistas. Ele viveu disso e ganhou muito dinheiro com o comunismo (que bela empreitada capitalista, não?)
Na Pedagogia do Oprimido, Freire rotula as pessoas em duas categorias: a dos oprimidos e a dos opressores. Segundo Freire, os “oprimidos” precisam recuperar a humanidade deles, mas sem a ajuda de seus “opressores”, pois eles são desumanos e distribuem “falsas caridades”.

Ele deixa claro em seu ensaio que todo “opressor” é desumano. Se você pretende conhecer quem realmente é a pessoa x, então você deve deixar seus discursos de lado e estudar quem são seus inimigos.


No caso de Freire, seus inimigos são os opressores. Mas quem são os opressores, afinal? Será que, de fato, eles são prejudiciais à sociedade? Conforme eu lia seu ensaio, fui descobrindo quem são os tais opressores que Freire tanto condena: Imagine que um empresário ajudou um usuário de crack que morava na rua a se libertar de seu vício e ainda ofereceu um emprego para ele. Agora o ex-drogado é um novo homem, que trabalha na empresa do mesmo homem que ajudou ele a sair da miséria. Usando o raciocínio freireano, o empresário é um opressor desumano porque ele está alienando o ex-drogado.


Ele largou as drogas para fazer parte da “sombra do opressor”, e não conseguiu “se libertar”. Será que eu sou a única que não concorda com as asneiras que Freire escreveu? Comente.