Dois presidentes foram derrubados por corrupção – agora ele (Moro) é acusado de abuso de poder

O Ministro da Justiça, o brasileiro Sergio Moro, foi aclamado como tendo sido o líder de uma das mais abrangentes investigações de corrupção de todos os tempos. Agora ele é acusado de abusar de seu poder.

Desde que a Operação Lava Jato foi iniciada pela polícia brasileira em 2014, a operação foi considerada como uma das maiores divulgações de corrupção da história.

A investigação revelou corrupção generalizada no “Estado” brasileiro e na comunidade empresarial brasileira.

Mais espetacularmente, levou à prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (conhecido como Lula) e ao impedimento da presidente Dilma Rousseff.

O juiz que supervisionou a investigação, Sergio Moro, foi considerado o herói nacional nas mídias sociais e internacional e (hoje) atua como Ministro da Justiça no governo de Jair Bolsonaro.

No entanto, vários artigos do site The Intercept levantaram dúvidas sobre a legitimidade da investigação em geral e sobre o papel de Moro em particular.

Pode parecer que Moro cooperou com a promotoria no que parecia ser uma investigação predeterminada e politicamente motivada.

Confirmando rumores
“O que é revelado nas divulgações do The Intercept é que as alegações de uma lista política que pertencia à investigação, e em particular a investigação de Lula, estão confirmadas”, disse o especialista brasileiro Torkjell Leira.

Vários dos apoiadores de Lula argumentaram persistentemente que a investigação de Lula foi politicamente planejada para impedi-lo de realizar eleições em 2018.

O ex-presidente do Brasil Luiz Inácio Lula da Silva
O ex-presidente do Brasil Luiz Inácio Lula da Silva terminou na cadeia como resultado da Operação Lava Jato.

  • Lula provavelmente teria vencido a eleição, mas não ficou em silêncio por causa da sentença de corrupção contra ele.

O Intercept, em seus casos, revelou várias mensagens entre a promotoria e, na época, julgou Moro.

A partir dos relatórios, parece em primeiro lugar um intercurso antiético entre Moro e a promotoria, mas também que o caso contra Lula era muito mais fraco do que o que era conhecido publicamente.

Também aparece nos relatórios que a promotoria trabalhou para impedir que a mídia alcançasse Lula na prisão durante a campanha eleitoral.

Isso impediu explicitamente uma entrevista com ele de ajudar o candidato que estava em seu lugar de ganhar.

  • Os relatórios confirmam que o caso contra Lula foi politicamente construído.
  • Com a conciliação entre política e negócios no Brasil, é quase impossível para Lula não ter conhecido a corrupção. A questão é como o Lula estava envolvido, continua Leira.

O Intercept se uniu na semana passada com a maior revista semanal de notícias do Brasil, Veja, com uma capa do Moro.

Que Veja se junte às críticas de Moro é particularmente difícil, quando a revista ajudou a construí-lo como herói nacional.

  • Isso teve grandes consequências para o Moro, diz Leira.

Depois da Operação Lava Jato, Moro foi visto como o próprio símbolo da justiça no Brasil, mas muitos levantaram as sobrancelhas quando ele foi contratado como Ministro da Justiça.

Sergio Moro e o presidente Jair Bolsonaro.
O presidente Jair Bolsonaro nomeou Moro para o ministro da Justiça em seu governo.

  • É claro que as pessoas estão reagindo quando ele consegue o emprego de Ministro da Justiça do principal adversário de Lula.

O Guardian pôde informar na noite de segunda-feira que Moro ficará fora do posto ministerial por uma semana, e a questão agora é se ele retornará.

“É difícil dizer com certeza quando se trata da política do Brasil, mas considerando a enorme pressão sobre ele, isso pode indicar que o Moro deve ir”, diz Leira.

NRK – Matéria

Para contactar o Jornalista responsável por este artigo email: Varg Folkman

Matéria: NRK

Comments are closed.