Figuras, números, cores, símbolos e tudo que possa tocar, de forma subliminar, uma mente ou imaginação é inteligentemente usada para destacar um produto ou serviço ou lugar. São Mensagens que funcionam como forma de propaganda indireta, mas, extremamente fortes, pois, acabam fixando na mente das pessoas a coisa a ser oferecida ou a ser lembrada.

Quando se quer ressaltar a fome em alguém, em um site ou loja de alimentação, usa-se cores de matiz avermelhada para que a fome se destaque. Quando se quer realçar a paz a tranquilidade, usa-se ou branco ou azul claro.

Talvez não seja a mais saborosa das cachaças brasileiras, mas, certamente, a 51 é a mais ou uma das mais conhecidas bebidas brasileiras. Tal lista pode se tornar interminável. É o que se chama de mensagem subliminar, quem nunca pediu uma “Brahma” em vez de cerveja, ou pediu uma “Gillette” para poder fazer a barba, em vez de uma Lâmina de Barbear ou até usou aquela lã de aço que insistentemente é chamada de Bombril, quando isso, na verdade, é o nome da empresa, assim como os produtos anteriores. Essa prática de uma marca ou cor ou número se tornar uma marca forte faz parte da propaganda como sendo um dos artifícios mais usados e mais eficazes na guerra da concorrência de venda de produtos. 

Mas, é pertinente perguntar também sobre uma outra situação: quando uma menina faz o mais importante aniversário dela? Aos quinze anos. E o menino? Aos Dezoito. Um estereótipo de idade que vem desde a época medieval, onde a moça passa a ter a idade de casar e o rapaz a idade adulta para assumir suas responsabilidades. Isso faz parte do imaginário da vida. Agora pergunta-se: por que comemorar TREZE ANOS da Lei Maria da Penha? Por que o emblemático TREZE, por que não esperar os Quinze anos? Comemorar Dez anos de uma lei, acredita-se ser a coisa normal, um número redondo, cheio. Mas, por que Treze? Lembra alguma coisa? Sim, e, é nessa onda famigerada de mensagem subliminar que os Petistas não querem ser esquecidos, sabedores do que pode acontecer no próximo ano nas eleições municipais, em que, até o Jornalista Nei Gonçalves Dias bradou dar um basta nesta onda de partidos que querem apenas o mal do país, se preocupando com seus interesses.

Por que essa comemoração de Treze anos? Para deixar a mensagem subliminar que esse número, azarado para muitos (nos Estados Unidos existem prédios onde o décimo terceiro andar não existe), está aos poucos sendo banido da política, por ser desnudado suas ações antibrasileiras, e muita das vezes até podendo ser quase classificadas como Lesa Pátria.

Deve-se comemorar sim a Lei Maria da Penha, um avanço jurídico contra homens que se acham donos de suas mulheres ao ponto de agredi-las e se acharem impunes. Mas, deve-se dar um basta nessa linguagem subliminar de que tudo tem de ter o dedinho (dedinho?) do PT no meio. O que se tem de incentivar é exatamente uma reforma política que desnude esse partido e seus agregados de maneira que o povo possa ver que, apenas estavam por detrás do poder para fazer vez e voz a seus interesses, e que os Brasileiros eram apenas gado de engorda dos cofres públicos e massa de manobra na hora de votar.

Vivas, à Lei Maria da Penha, grande avanço da justiça brasileira. Apenas.