Aos estrangeiros que desejam residir na Noruega, exige-se motivos legítimos para adquirirem a autorização de residência, pois tal autorização concedida implica determinados direitos e deveres. Todos têm a responsabilidade de aprender leis, isto é, todos os residentes na Noruega têm a obrigação de aprender e respeitar as leis e as regras do país, e também têm a obrigação de fornecer informações corretas quando essas são exigidas pelas autoridades. 

Todos os que residem na Noruega têm muitos direitos e deveres significa, por exemplo, que todas as crianças têm o direito de ir à escola e que todos têm direito a tratamento hospitalar. Todos os que trabalham, têm o dever de pagar impostos. E quando entrega-se a declaração de impostos todos os anos, tem-se a obrigação de fornecer informações corretas, o que se aplica a todos na Noruega, onde o sistema baseia-se no princípio da confiança mútua, ou seja, as autoridades confiam que os habitantes fornecem informações corretas e cumprem a lei. Há, logicamente, um sistema de controle que é usado apenas casualmente. Indivíduos que são pegos fraudando o sistema sofrem sanções como multas, serviço comunitário ou pena de prisão.

Para oferecer melhores oportunidades aos imigrantes adultos recém-chegados no país, a Noruega possui um Programa de Introdução que, sob a responsabilidade dos municípios ou estados, disponibiliza ao imigrante conhecimentos básicos sobre a sociedade norueguesa, com o objetivo de aumentar as possibilidades dele participar da vida laboral e social do país, e ao mesmo tempo, fortalecer sua independência financeira, que é a principal meta do programa.

As matérias do Programa de Introdução à Formação Cívica são: língua norueguesa, saúde, estudos sociais (história e geografia) e modo de vida, criança e família, educação e competências, vida laboral, emprego e participação na sociedade, democracia e a sociedade de bem-estar social. 

Para as crianças estrangeiras que estudam na Noruega as matérias Educação Cívica e RLE (Religião, Filosofia e Ética / ou KRLE – Cristianismo, Religião, Filosofia e Ética) são parte da grade curricular nacional desde o ensino fundamental. Além disso, alunos com uma língua materna que não seja norueguesa e sami têm direito a um treinamento especial em norueguês e se necessário, eles também têm direito à educação na língua materna, formação profissional bilíngüe ou ambos. 

Fontes: Samfunnskunnskap e UDIR