O que chamamos de inglês seria, na verdade, uma forma de escandinavo“.

O norueguês pertence à família das línguas indo-germânicas junto com dinamarquês, islandês, sueco, alemão e inglês. Dentre a classificação “línguas germânicas” estão: línguas germânicas do norte, do oeste e do leste germânico. Inglês, holandês, alemão, iídiche, por exemplo, integram o ramo das línguas germânicas ocidentais. As línguas escandinavas (dinamarquês, sueco e norueguês), islandês e feroês, o ramo do norte. No que concerne às do leste (germânicas orientais), que seriam gótica, borgonha e vandalista, estas são consideradas línguas mortas.

Em 2012, o professor de linguística da Universidade de Oslo, Jan Terje Faarlund, afirmou que o inglês é, na verdade, uma língua germânica do norte e, portanto, escandinava. Segundo o professor, essa é a razão pela qual muitas palavras em norueguês se parecem muito com o inglês – assim como a estrutura do idioma. E assim, considerando a semelhança do norueguês com o sueco e o dinamarquês, estas também compartilham várias semelhanças com o inglês.

Abaixo, uma pequena tabela com alguns exemplos comparativos:

Norueguêsinglês
fastfast
godgood
uke week
ung young
heihi
hjelphelp
drikkedrink
go
kommer come
mormother
far father
bror brother
søstersister
onkeluncle
niese niece
vinnerwiner
vinter winter
sommer summer
dør door
mann man
melk milk
velkommenwelcome
overover
underunder
iin
drømdream
rød red
døddead
grønngreen
hushouse

Dentre as maiores semelhanças do norueguês com o inglês, além do vocabulário estão as inversões e a formação do possessivo: em norueguês um ‘s’ é adicionado ao final do possuidor (dono):

Norueguês: o hotel (hotell) do homem (mann) = manns hotell

Inglês: o hotel (hotel) do homem (man) = man’s hotel.

Para os noruegueses, como se verifica, o inglês é “fácil”, mas não apenas devido a isso é que eles amam a língua inglesa: para eles o inglês os ajuda nos negócios e no crescimento econômico. Em assuntos relacionados ao lazer, noruegueses são (bem como os outros escandinavos) grandes consumidores da mídia inglesa. Eles gostam muito de assistir séries e filmes britânicos e americanos com legendas, em vez de versões dubladas. A BBC, emissora pública da Grã-Bretanha, tem uma afiliada nórdica, que transmite exclusivamente para os três países.

Research Magazine – Apollon
Illustration: Hanne Utigard

Uma pesquisa da University of Oslo revelou que o inglês é uma língua escandinava, e que, ao contrário da crença popular, os britânicos não pegaram emprestado apenas termos e conceitos dos vikings e de seus descendentes. O que chamamos de inglês seria, na verdade, uma forma de escandinavo.

Agora, os pesquisadores acreditam que podem provar que o inglês é, na realidade, uma língua escandinava, o que significa que pertence ao grupo de línguas germânicas do norte, assim como norueguês, dinamarquês, sueco, islandês e feroês. Isso rompe com o que os pesquisadores de outras línguas e o resto do mundo acreditam: que o inglês descende diretamente do inglês antigo ou anglo-saxão, que é uma língua germânica ocidental, que os anjos e saxões trouxeram com eles do norte da Alemanha e do sul de Jylland quando eles se estabeleceram nas Ilhas Britânicas no século V. “Você já pensou em como é fácil para os noruegueses aprender inglês?” pergunta Jan Terje Faarlund, professor de linguística da Universidade de Oslo. “Obviamente, existem muitas palavras em inglês que se assemelham às nossas. Mas há algo mais: sua estrutura fundamental é surpreendentemente semelhante à norueguesa. Evitamos muitos dos erros usuais porque a gramática é mais ou menos a mesma. O inglês moderno é um descendente direto da língua dos escandinavos que se estabeleceram nas ilhas britânicas ao longo de muitos séculos, antes dos normandos de língua francesa conquistarem o país em 1066”, diz Faarlund. Ele ressalta que o inglês antigo e o inglês moderno são dois idiomas muito diferentes. Por quê? “Acreditamos que é porque o inglês antigo simplesmente desapareceu enquanto o escandinavo sobreviveu, embora fortemente influenciado, é claro, pelo inglês antigo”, diz ele. A “coabitação” entre britânicos e escandinavos foi amplamente hostil. Ambos lutaram pela hegemonia política. Os descendentes dos vikings ganharam o controle das partes leste e norte do país. O Danelaw estava sob o controle dos chefes escandinavos por meio século. Como a maioria dos colonos, os habitantes de língua escandinava não encontraram motivos para mudar para o idioma do país em que haviam chegado. “Um ponto geográfico especialmente importante em nosso estudo é que a região de East Midlands, onde a língua falada mais tarde se desenvolveu para o inglês moderno, coincide quase exatamente com a parte sul da Danelaw, densamente povoada”, diz o professor. A língua mudou bastante no período após a chegada dos normandos. As condições miseráveis ​​em que as pessoas viviam na época resultaram em uma fusão completa dos dois grupos de pessoas anteriormente separados – os falantes de inglês antigo e os escandinavos – e daí surgiu o inglês médio – o antecessor do inglês moderno. A língua adotou muitas palavras dos habitantes de Danelaw, descendentes de noruegueses e dinamarqueses. Por exemplo, todas as palavras lexicais nesta frase são escandinavas: ele pegou a faca e cortou o bife . Só ele , o e e vem do Inglês Antigo.”O que é particularmente interessante é que o inglês antigo adotou palavras para coisas do dia-a-dia que já estavam no idioma. Geralmente, empresta-se palavras e conceitos para coisas novas. No inglês, quase o inverso é verdadeiro – as palavras do dia-a-dia são escandinavos e existem muitos “, diz Faarlund. Aqui estão alguns exemplos: raiva, pavor, saco, banda, grande, nascimento, ambos, touro, bolo, chamada, elenco, aconchegante, cruz, morra, sujeira, sonho, ovo, companheiro, apartamento, ganho, obter, presente, dar , palpite, hóspede, abraço, marido, doente, criança, lei, perna, elevador, empréstimo, solto, baixo, erro, ímpar, corrida, aumentar, raiz, podre, mesmo, assento, irmã, habilidade pele, saia, céu, bife, prosperar, quinta-feira, apertado, até, confiar, feio, querer, fraco, janela, asa, errado. Os pesquisadores acreditam que o inglês antigo já possuía 90% desses conceitos em seu próprio vocabulário. Mas o elemento escandinavo não se limitou ao vocabulário, o que é normal quando os idiomas entram em contato um com o outro. Embora um grande número de novas palavras esteja a caminho de um idioma, ele ainda mantém sua própria gramática. Esta é uma lei quase universal. “Mas na Inglaterra palavras gramaticais e morfemas – em outras palavras, a menor unidade lingüística abstrata e significativa – também foram adotados do escandinavo e sobrevivem em inglês até hoje”. Faarlund e seu colega Joseph Emmonds, professor visitante da Universidade Palacký, na República Tcheca, mostram que a estrutura das frases no inglês médio – e, portanto, também no inglês moderno – é escandinava e não germânica ocidental. “É altamente irregular emprestar a sintaxe e a estrutura de um idioma e usá-lo em outro idioma. Nos dias de hoje, os noruegueses estão emprestando palavras do inglês e muitas pessoas estão preocupadas com isso. No entanto, a estrutura norueguesa de palavras não é totalmente afetada por Inglês. Permanece o mesmo. O mesmo vale para a estrutura em inglês: praticamente não é afetada pelo inglês antigo “. “Podemos mostrar que, sempre que o inglês difere sintaticamente dos outros idiomas germânicos ocidentais – alemão, holandês, frísio – ele tem a mesma estrutura que os idiomas escandinavos”.

Trine Nickelsen, artigo da Universidade de Oslo – 7 de dezembro de 2012)

* Jan Terje Faarlund é professor Emeritus do  Institutt for lingvistiske o nordiske studier da Universidade de Oslo, autor de várias obras.

Curiosamente, a Princesa Maud de Gales, Princesa do Reino Unido, Grã-Bretanha e Irlanda (Maud Carlota Maria Vitória), filha mais nova do Rei Eduardo VII do Reino Unido e sua esposa, a Princesa Alexandra da Dinamarca, foi a esposa do Rei Haakon VII da Noruega, e, portanto, ela foi Rainha da Noruega. Por essa razão, a jovem Princesa da Noruega, Ingrid Alexandra, consta na linha de sucessão à coroa britânica.

Princesa Ingrid da Noruega (agosto, 2019)
Imagem: Casa Real da Noruega

Após este panorama, fica clara a importância de aprender bem a língua inglesa… Se você for fluente em inglês, chances são de que será também em norueguês!

(*) Esse conteúdo é parte do Term paper on instrumental usage of language. Second and Foreign language. NSL: Norwegian as a Second Language (BNorsk) and NFL: Norwegian as a foreign Language – Clarissa Xavier Machado. 2019.

Para saber mais leia:

Science Norway – Artigo da Universidade de Oslo

Babel 

Assista ao vídeo: Norskbloggen

Imagem: westerlaw.org

Print Friendly, PDF & Email

Facebook Comments

Comments are closed.