A descoberta de uma cidade rica e próspera no deserto de Arava, entre Israel e Jordânia, desvendou a história deste reino que existiu entre os séculos XI e XII A.C.

O reino bíblico de Edom, sempre foi um desafio para os pesquisadores. A evidência deste fato, se encontra na Bíblia, porém, o registro arqueológico encontrava dificuldades ao interpretar o texto , que dizia que o reino de Edom, já existia muito antes dos reis de Israel.

Um novo estudo internacional de uma equipe de cientistas, liderada pelo professor Erez Ben-Yosef, da Universidade de Tel Aviv, no Vale do Arava, transforma nômades edomitas da Bíblia, em engenheiros de ponta de um ” Vale de Cobre “. A pesquisa foi recém-publicada no site da revista científica PLOS ONE. “Nossos resultados provam que aconteceu antes do que se pensava anteriormente e de acordo com a descrição bíblica”, explicou Ben-Yosef.

A riqueza deste reino, era embasada no recurso mais precioso da época; o cobre. “A fundição deste material, era essencialmente a alta tecnologia dos tempos antigos”, disse  Ben-Yosef . Os pesquisadores encontraram desperdício de extração de cobre em Arava, o que mostra que o processo se tornou mais eficiente; resultado da invasão militar de Faraó Shoshenq I do Egito, provocando grande avanço tecnológico, na produção e comércio de cobre; também neste momento, o camelo foi introduzido pela primeira vez naquela região.

A Arqueologia, nunca duvidou da existência deste reino, porém, foi amplamente afirmado, que emergiu por volta do final do século VIII AC, no planalto, localizado na Jordânia, perto de Petra e a sudeste do mar morto.

Os edomitas, eram muito bem estruturados e organizados, mas ainda eram nômades, moravam em tendas, não tinham cidades ou vilarejos, no entanto, tinham cemitérios e lugares de fundição.

Estas descobertas, provam que eles tinham um esquema de coordenação centralizado, sob uma liderança, bem antes de se estabelecerem nas cidades de planalto, próximo às rotas comerciais .

Os pesquisadores coletaram amostras do complexo mineiro de Timna, sul de Israel – possivelmente, o local das lendárias minas do rei Salomão e Faynan, no Vale do Arava, na Jordânia.

Há registro deste povo em muitas passagens bíblicas e a leitura judaica tradicional os vê como “primos” dos israelitas por meio de Esaú, irmão de Jacó. A mais famosa das antigas minas de cobre edomita, Timna, leva o nome de Gênesis 36, onde os antepassados de Esaú estão listados.

Fonte:  Central Timna Valley Project

Imagem: archaeology.tau.ac.il