(Fotos: reprodução twitter oficial @redbullracing)

A corrida no autódromo de Interlagos foi surpreendente e sem dúvidas, a melhor da temporada até agora. O grid de largada foi liderado por Max Verstappen, em sua segunda pole do ano, seguido de Sebastian Vettel e Lewis Hamilton. Charles Leclerc largou em 14º, ao ser punido por levar uma nova configuração de motor para o GP.

Ao se apagarem as luzes, Hamilton saiu pela direita para tomar a P2 de Vettel e conseguiu passar por fora durante a curva 1 sem dificuldade. Leclerc buscava sair do meio-campo e conquistou três posições ainda na primeira volta.

Sete voltas à frente, Daniel Ricciardo – que se encontrava na P14 – vinha com asa a móvel aberta, pela esquerda de Kevin Magnussen. Ao fazer a curva 4, Ricciardo tocou em Kevin e o fez deslizar para fora da pista. O piloto Renault foi direto para os boxes trocar a asa dianteira danificada pelo contato. Após investigação da FIA, Daniel foi penalizado em +5 segundos por não ter dado espaço ao piloto Haas. Nessa volta, Leclerc já se encontrava na P8.

Max Verstappen fez sua primeira parada na volta 21/71, com um tempo impressionante de 1.8s. Ao ser liberado para sair do pit-lane, o piloto RBR foi fechado por Robert Kubica, que deveria respeitar a preferência de Verstappen, por ter sido o primeiro a sair do pit-stop. A manobra ilegal do piloto Williams prejudicou a saída com vantagem de Verstappen e por isso, a FIA penalizou Kubica em +5s. Max saiu dos boxes na P6, mas claramente furioso com o imprevisto, forçou as ultrapassagens e na mesma volta, deixou Albon e Hamilton para trás e assumiu a P3.

Na volta 27/71, Verstappen recuperou a liderança da prova, no momento em que Valtteri Bottas foi para os boxes. A partir daí, Hamilton começou a reclamar da falta de comunicação da equipe em relação ao estado das funções do carro.

Em mais da metade da corrida, na volta 45/71, Verstappen foi fazer mais uma parada e a equipe RBR pela segunda vez seguida, realizou a troca de pneus dentro de 1.9s.

Na volta seguinte, Bottas forçava sua Mercedes ao máximo para ultrapassar Leclerc e subir para a P5, mas a cada volta, o piloto Ferrari defendia a posição com maestria, mesmo com a ativação da asa móvel de Bottas.

Vettel – que era o líder da disputa – foi para os boxes na volta 49/71, o que abriu espaço para Verstappen recuperar novamente a pole.

Três voltas depois, por ficar muito tempo no vácuo de Leclerc sem refrigeração, Bottas superaqueceu o motor de sua Mercedes, onde ficou claro ao sair uma fumaça branca na traseira de seu carro. Ao encostar na lateral esquerda da pista, o piloto finlandês abandonou pela segunda vez na temporada, desde o GP da Alemanha. O Safety Car foi ativado em seguida.

Verstappen aproveitou a bandeira amarela e foi em direção aos boxes realizar sua última parada e voltou na P2, atrás de Hamilton. Na volta seguinte, os carros atrasados (em 1 volta ou mais) foram liberados para tirar suas voltas de diferença, e contornar o carro de segurança. O Safety Car permaneceu até a volta 59/71.

Assim que a prova foi retomada, Verstappen colou em Hamilton para brigar pela liderança e durante a curva 2, deixou o hexacampeão para trás e recuperou a pole pela terceira vez. Logo depois, seu parceiro de equipe Alex Albon, conquistou a P3 de Vettel. Na volta 65/71, Verstappen abria uma diferença de 3.5s em relação a Hamilton.

Uma volta depois, houve uma batalha entre os pilotos Ferrari pela P4: ao ser ultrapassado por Leclerc por dentro na curva 1, Vettel claramente insatisfeito, tentou reassumir a posição pela direita, na reta que antecede a curva 4. Durante a manobra, Vettel tocou lateralmente em Charles e não só quebrou a suspensão dianteira direita do parceiro, mas furou seu pneu traseiro esquerdo e ambos abandonaram furiosos um com o outro. A Ferrari não sofria um abandono duplo desde 2017, após o GP de Singapura. Com o acidente, o Safety Car foi novamente ativado.

Ao faltar apenas uma volta para o término da corrida, Albon se encontrava na P2 logo atrás de Verstappen, com Hamilton em sua cola. Ao fazer a curva 2, Hamilton (que vinha por dentro) tocou na roda traseira direita de Albon e o fez sair do traçado. Assim, Lewis tirou não só o primeiro pódio do tailandês, mas a possibilidade de uma dobradinha da RBR, que é rara. A FIA abriu uma investigação para apurar o incidente e decidir se Hamilton seria punido ou não pelo toque.

No momento em que Hamilton diminuiu a velocidade após o contato com Alex (que danificou sua asa dianteira esquerda), Pierre Gasly aproveitou a oportunidade e assumiu a P2 do inglês. A partir daí, na última volta, Hamilton iniciou uma perseguição frenética atrás de Gasly e na reta final, Hamilton já estava na metade lateral esquerda do francês, mas não conseguiu ultrapassar e o piloto Toro Rosso cruzou a linha de chegada antes.

Max Verstappen vence o GP do Brasil em um dia de redenção, após perder a vitória ano passado por conta de um toque de Esteban Ocon. Com a vitória, o holandês assume a terceira posição no campeonato de pilotos, com um total de 260 pontos, 11 à frente de Charles Leclerc.

(Foto: reprodução twitter oficial @redbullracing)

Ao chegar em segundo e conseguir segurar o hexacampeão Lewis Hamilton, Pierre Gasly conquista seu primeiro pódio da carreira e a melhor finalização da Toro Rosso na temporada, após o terceiro lugar de Daniil Kvyat no GP da Alemanha.

(Foto: reprodução twitter oficial @ToroRosso)

Lewis Hamilton foi punido após a prova em +5s no resultado final, o que fez Carlos Sainz subir para a P3 em seu lugar e cair para a P7. Com a promoção de Sainz (que largou em último) ao primeiro pódio de sua carreira, a Mclaren põe fim a um jejum sem ficar no top 3 desde 2014 e junto com Verstappen e Gasly, Sainz faz parte do pódio mais jovem da história da Fórmula 1: Max (22 anos), Pierre (23) e Carlos (25). A Red Bull Racing também ficou na história ao quebrar o recorde de pit-stop mais rápido, com o tempo de 1.82s, realizado na volta 21/71.

A volta mais rápida foi de Valtteri Bottas, com o tempo de 1.10.698. Veja abaixo o top 10 dos pilotos que terminaram na zona de pontuação:

POSPILOTOCARROVOLTASTEMPOPTS
133Max VerstappenRED BULL RACING HONDA711:33:14.67825
210Pierre GaslySCUDERIA TORO ROSSO HONDA71+6.077s18
355Carlos SainzMCLAREN RENAULT71+8.896s15
47Kimi RäikkönenALFA ROMEO RACING FERRARI71+9.452s12
599Antonio GiovinazziALFA ROMEO RACING FERRARI71+10.201s10
63Daniel RicciardoRENAULT71+10.541s8
744Lewis HamiltonMERCEDES71+11.139s6
84Lando NorrisMCLAREN RENAULT71+11.204s4
911Sergio PerezRACING POINT BWT MERCEDES71+11.529s2
1026Daniil KvyatSCUDERIA TORO ROSSO HONDA71+11.931s1

A próxima e última etapa da temporada será o GP em Abu Dhabi, dia 1 de Dezembro, às 10:10h (horário de Brasília).