fbpx
Crônica

Como montar uma farsa? Faça uma votação

Compartilhar

Muitas pessoas vibraram quando ouviram a notícia de que o mal fadado Fundo Eleitoral não seria mais de 3.8 Bilhões, mas, de 2 Bilhões de Reais. Primeiro era de 1,7 bilhões passou para Dois e estão vibrando? A uma pergunta ainda mais pontual que não quer se calar é: Para que dois Bilhões de Reais para financiamento de campanha eleitoral? Para que nada façam pelo povo? Pois, esta é a temática que tem sido observada com mais afinco no Legislativo Brasileiro.

O mais interessante de tudo é que observando as divisões de votos ficamos boquiabertos como ficou essa divisão. Visto que temos 25 partidos, dos 35 existentes no Brasil em funcionamento hoje, com representação na Câmara, acreditava-se que houvesse uma polarização de votos em torno das PSEUDO ideologias que temos em nossa Casa Legislativa Federal. Mas, não foi isto o que foi visto.

Analisando os resultados de cada partido e dos votos dados chegamos ao seguinte placar. 263 votos a favor da manutenção e existência desse desvio desnecessário de dinheiro público para eleições, 143 votos contrários a que o mesmo existisse, 7 obstruções e a não votação do Presidente da Câmara por artificio legal. Vemos que o número de votos a favor da manutenção foi muito superior aos contrários a manutenção desta afronta política ao suado dinheiro público oriundo dos impostos do povo.

Porém, Vamos analisar ponto a ponto oque mais chamou a atenção: que bancada votou 100% a favor e a qual votou 100% contra: Os que votaram 100% contra tal afronta politica foram: NOVO e, pasmem, PSOL, além dos deputados do PMN e REDE que possuem apenas um deputado cada. As bancadas que votaram 100% a favor: PCdoB, (depois diz que comunista não gosta de dinheiro), Solidariedade (como sempre Solidário a suas raizes). Neste ponto vemos algumas incoerencias de votação.

AVANTE, PV, PTB e PSDB, ficaram no fiel da balança pendendo 50% para cada resultado. O PT teve um voto NÃO do Dep. Vander Loubat, assim como outros partidos tiveram essa mesma situação. O REPUBLICANOS um voto NÃO do Dep. Cap. Alberto Neto, O Patriotas um voto SIM do Dep. Dr. Frederico. O PSC, teve um Voto SIM do Dep. Valdevam Noventa e o Cidadania teve um voto SIM do Dep. Arnaldo Jardim. Já o PDT e o PODEMOS, que votaram pelo NÃO, tiveram 1 e 6 votos de OBSTRUÇÃO respectivamente e no PSL ficou claro o racha da legenda com 10 votos SIM e 38 votos NÃO. Desses que votaram SIM, uma postura de serem da chamada Ala Bivarista.

Onde pesou a Balança? Nos partidos do Centrão. Votaram DEM, PSB, PROS, MDB, PL, PSD e PP, em ampla maioria pelo SIM, somado ai os votos do PT (46 de 47) PSDB (14), Republicanos (24 de 25) e os dez oriundo do grupo Bivarista do PSL, podemos tirar as conclusões que este Bloco formado pelo famigerado CENTRÃO, como sempre, desequilibra a balança Legislativa. Porém, de forma abjeta, para o lado apenas dos políticos e seus partidos, nunca do Povo.

Quantas obras poderiam ser feitas com esse dinheiro a favor do povo? Quantos Municípios poderiam ser ajudados com esse dinheiro? Quanto da Saúde poderia ser melhorada com esse valor? Esse dinheiro será jogado no ralo para alimentar campanhas de poderosos, pois, vendo um discurso da Dep. Gleise Hoffman, onde a mesma fala: “como os candidatos pobres poderiam concorrer com os ricos políticos na campanha”, eu deixo uma pergunta? Se todos esse dinheiro é para campanhas de Prefeitos e Vereadores, cada Prefeito dos mais de 5000 municípios do país vão receber a mesma cota de valor? Tomando por base a comparação dos tamanhos de municípios é lógico.

Não se pode querer que São Paulo tenha o mesmo valor que uma outra cidade de pequenino porte. Mas, em tomando São Paulo como Parâmetro: Todos os candidatos a vereador, de qualquer que seja o partido, receberá cota igual de valores para pagar suas campanhas? Ou a fatia que cabe à Pauliceia será distribuída equitativamente como sempre o é: Os candidatos Pobres ganham pouco, por que já são pobre? E os candidatos Ricos ou apadrinhados ganham muito por que já convivem com a riqueza?

Para encerrar ainda tem mais uma pergunta: Um Senador da República veio a denunciar que desses dois bilhões, um bilhão e Setecentos milhões O GOVERNO TERÁ DE TOMAR EMPRESTADO PARA COLOCAR NO FUNDO, pois, dos impostos viriam apenas trezentos milhões. Minha mãe me ensinou que eu só devo comprar aquilo que meu dinheiro dá para comprar. Comprar sem dinheiro é endividar-se. Então, o país e a sua população é que tem de arcar com essa despesa sem verba empenhada para dar boa vida a políticos que vão discutir como prejudicar o povo com suas leis esdrúxulas? Suas más administrações? Será que o povo sempre tem de pagar essa conta, para SEUS EMPREGADOS?

Até quando???

Créditos de imagem: Votação do Fundo Partidário. Agência Câmara. Fotografia de Luis Macedo.

Print Friendly, PDF & Email

Luiz Gustavo Chrispino

Olá, sou Luiz Gustavo Chrispino Históriador, Professor de História e Geografia, Jornalista, Escritor, Conservador, Monarquista e Pró-Monarquia Parlamentar Constitucional Federalista. Membro do Conselho Curador da Fundação Cultural Palmares e Colaborador do Jornal digital Duna Press Jornal e Magazine, autor do livro de crônicas publicado nos seguintes links - eBook: https://a.co/dCmCPIa ou impressa: https://a.co/fUqe1so Normalmente, crítico as situações que nosso país vive, por acreditar que o povo sempre foi massacrado por uma casta política que sempre esteve mais interessada nos seus ganhos corruptos, que no povo em si, o que gerou a situação esquerdizante que vemos hoje nas instituições brasileiras. Gostou??? Bom!!! Não Gostou?? Fazer o que? Nem todo mundo me entende...

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Translate »