fbpx
Opinião

Quando não se conhece algo… Melhor não se manifestar.

Compartilhar

Hoje, dia 27 de dezembro de 2019, está matéria foi publicada no Jornal O Globo (por isso ainda leio, pois, sempre aparece algum ataque gratuito a algo que defendemos), e como tal assunto me incomodou de forma bastante pontual, resolvi me posicionar sobre tal assunto: Segue o texto do Meu e-mail ao Jornalista Pedro Doria, Autor do texto no jornal citado.

Prezado Senhor Pedro Doria, bom dia.

Por ser há mais de trinta a cinco anos um ativista da Monarquia aqui no Rio de Janeiro, além de Professor de História e Geografia e Jornalista, sempre que vejo alguma notícia em que a Monarquia é citada, tenho o cuidado de analisar o conteúdo de tal assunto para evitar mal-entendidos ou desmandos por parte das pessoas que estejam escrevendo sobre a Monarquia.

Desde já deixo claro que, assim como a Frente Integralista Brasileira se posicionou contraria ao atentado terrorista (mesmo que a polícia ainda não tenha ido por este viés de investigação), eu, como Monarquista convicto, atuante e sempre presente, venho aqui defender tanto a Casa Imperial, que já se posicionou também, contrária a tal ato terrorista (novamente cito como minha visão tal atentado ao Porta dos Fundos), como a Monarquia como Instituição.

Quero aqui deixar claro para o Senhor e para todos que lerem este documento, que além de estar sendo enviado ao Jornal O Globo, também será postado nas redes sociais, no Jornal On Line onde sou Editor Chefe (DUNA Press Periódico), nos grupos sociais do Facebook aos quais tenho acesso e nas páginas do Facebook, Twitter e Whatsapp, meu repúdio total à sua colocação ao atrelar o Integralismo à Monarquia por conta da postura dos nefastos encapuzados do vídeo que viralizou pelo YouTube, em que tais meliantes, com bandeira integralista, assumiam a autoria do (NOVAMENTE REFORÇO) Atentado Terrorista contra o Porta Dos Fundos e juntamente postaram uma Bandeira Imperial.

Neste caso, deixo aqui uma indagação: Caso estivessem eles com uma bandeira do Flamengo, então seriam todos os Flamenguistas INTEGRALISTAS? Isso, a meu ver, seria uma perspectiva reduzida, leviana e maldosa.

Sobre sua visão factual do movimento da Ação Integralista Brasileira, como professor de História, posso até lhe dar um B –, mas, à sua análise de unir esse atentado aos Integralistas e de quebra dizer que todos os integralistas defendem a Monarquia, nesta análise, como Professor e Jornalista lhe dou nota E –.

É verdade que uma parte dos Integralistas defendem a Monarquia, assim como outros segmentos sociais a defendem, bem como uma parte destes mesmos integralistas defendem a República. Eu a defendo por ser uma Forma de Governo precisa, e podemos citar o caso da Bélgica, que está há um ano sem governo, (Notícia veiculada em seu jornal dois dias atrás) e deixo aqui outra pergunta: A Bélgica parou? Não. Felipe VI fechou tantas vezes o Parlamento Espanhol quanto foi necessário, por não formarem um governo e dar a Espanha um Chefe de Governo… Mas, nos dois casos, os respectivos Chefes de Estado, Estável, Forte e Presente, mantiveram e mantém a unidade do país.

Isso é Monarquia, a mais antiga Forma de Governo do Mundo, que aliada ao Parlamentarismo concede ao país uma estabilidade que se vê nos números de IDH e de desenvolvimento do mundo, onde normalmente os dez maiores países ali elencados são, na maioria, Monarquias e na quase totalidade, parlamentaristas.

Não quero com isso colocar o Movimento Integralista como vilão, mas, sua reportagem é tendenciosa quando diz que os Integralistas defendem a Monarquia. Fica no imaginário das pessoas aquilo que já foi mais que difundido pela História e que o senhor em seu texto realça: a ligação do Integralismo de Plínio Salgado ao Fascismo de Benito Mussolini e de quebra, quer colocar a Monarquia como se defensora do Fascismo fosse.

Se o senhor não sabe, cabe aqui uma pequena informação. A Monarquia Democrática em todos os lugares do mundo é SUPRAPARTIDÁRIA E APOLÍTICA, cabendo aos MONARQUISTAS serem os elementos políticos e partidários dentro dela.

Por conta desses equívocos, que, quero crer, não por maldade, mas, por visão pessoal, que envio esse meu e-mail de repúdio a sua reportagem. Sei que será colocada no “CESTO ARQUIVO”, afinal, quem é esse Professor Luiz Gustavo Chrispino? Respondo: Alguém que leu uma matéria com visões, talvez, tendenciosas e por ser Monarquista, Professor e Jornalista, resolveu se posicionar contra mais um ataque gratuito que se faz a Monarquia, por conta de alguns IMBECIS, MEDROSOS E CRETINOS que fizeram de suas ações nefastas e criminosas, um ato manchando nossa amada Bandeira Imperial (bandeira esta que por 67 anos foi o Estandarte maior de nossa nação, representando sua Liberdade do jugo colonial português a partir de nossa independência, nossa soberania como uma nação livre e pujante principalmente no Reinado de Dom Pedro II reconhecidamente um dos (quiçá o) maior estadista das Américas) colocando-a em seu vídeo, diga-se de passagem, mais para Estado Islâmico que para Integralismo, e que o Senhor tenta endossar a ligação desses criminosos, travestidos de Integralistas, com os Monarquistas. Isso é algo que não posso me calar, como leitor, Monarquista, Professor e Jornalista.

Deixo aqui meu apresso aos bons jornalistas que fazem da ética profissional um sacerdócio e um meio profissional, e meu repúdio aqueles que se distanciam desta mesma ética, mostrando suas tendências de pensamento em lugar de uma análise jornalística ética, verdadeira e não tendenciosa.

Deixo aqui também meus votos de um Feliz Ano de 2020.

Luiz Gustavo Chrispino
Professor – Jornalista – Escritor
Ativista Político Monarquista

Print Friendly, PDF & Email

Luiz Gustavo Chrispino

Olá, sou Luiz Gustavo Chrispino Históriador, Professor de História e Geografia, Jornalista, Escritor, Conservador, Monarquista e Pró-Monarquia Parlamentar Constitucional Federalista. Membro do Conselho Curador da Fundação Cultural Palmares e Colaborador do Jornal digital Duna Press Jornal e Magazine, autor do livro de crônicas publicado nos seguintes links - eBook: https://a.co/dCmCPIa ou impressa: https://a.co/fUqe1so Normalmente, crítico as situações que nosso país vive, por acreditar que o povo sempre foi massacrado por uma casta política que sempre esteve mais interessada nos seus ganhos corruptos, que no povo em si, o que gerou a situação esquerdizante que vemos hoje nas instituições brasileiras. Gostou??? Bom!!! Não Gostou?? Fazer o que? Nem todo mundo me entende...

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Translate »