fbpx
Crônicas

Jornalismo, hoje no Brasil, anda podre

Compartilhar

Quando se quer ser mau-caráter sutilmente, publica-se uma matéria num site, num jornal on line ou impresso como uma sutil conotação negativa para que tal coisa acabe no subconsciente do leitor.

Não falo da reportagem em si que está junto da foto que publicamos nessa matéria. Ela, para nós hoje não é o mais importante. Mas, a foto que foi tirada por um fotógrafo do Estadão, este sim é o foco principal dessa nossa matéria.

O rosto do presidente é retratado parecendo de alguém Com Problemas Mentais. Inconscientemente, passa para o leitor aquilo que a grande mídia hoje quer retratar na figura do político Jair Bolsonaro: Alguém com problemas mentais. A própria matéria abaixo da foto busca mostrar isso, como se a tentativa de assassinato que o então candidato Jair Bolsonaro sofreu, pela facada desferida, tivesse sido feita por um louco e não alguém que estava participando de todo um plano de dominação do poder, que observamos a cada dia mais, se descortinar, onde aqueles que querem continuar mandando no país e usando das benesses que esse poder trás junto, agiram de forma pensada e maquinada, para buscar tirar do jogo político, aquele candidato que tinha tudo para dar certo e que se elegeria, como ocorreu.

Mesmo tendo toda a mídia noticiando o contrário: que ele perderia em segundo turno até contra o velho macaco Tião, grande estrela da campanha para Prefeitura em 1988 no Rio de Janeiro, que conseguiu a façanha de ter mais de 400 mil votos, venceu Jair Bolsonaro a disputa em primeiro e segundo turnos, derrubando os esquemas políticos, não da esquerda, mas, de toda uma casta de políticos que querem ver o Brasil cair em qualquer desgraça, desde que possam usufruir do dinheiro do povo através do Roubo Institucionalizado, nos altos salários e demais mordomias que essa Casta Brâmane Política possui no país.

Onde o trabalhador pode determinar o percentual de seu aumento de salário? Benefícios com Planos de Saúde totais e caríssimos ao bolso do povo, mas, pagos com verbas públicas? Onde pode o trabalhador conseguir, um Vale Transporte de altíssimo nível e ilimitado, contando com carros privados e passagens de avião a toda hora? Sem contar o poder dizer o que bem quiser e fazer também, sem ser “punido” por estar sob uma capa de proteção institucionalizada chamada FORO PRIVILEGIADO, além, é claro, de ter o dinheiro do povo para bancar toda essa farra e mais dinheiro para que este político, sem tirar um níquel do bolso, faça suas campanhas milionárias para se reeleger e manter a mordomia? Só no Brasil. E para manter isso essa casta precisa de ter aliados.

Assim, também, com benefícios ditos oficiais, por muitos anos a mídia foi alimentada por essa Hidra Gigante. Esse monstro que possui inúmeras cabeças que ao ser cortada uma, nascem outras duas. Até o personagem Capitão América tem como o pior inimigo uma organização chamada HIDRA, comandada pelo Caveira VERMELHA (interessante o uso dessa cor, não acham?). Assim cresceu a mídia no Brasil.

Recordamos coisa de 40, 50 anos atrás, a quantidade de jornais impressos que circulavam no país, destacamos aqui, em especial, os do Rio de janeiro: Correio da Manhã, Jornal do Commercio (o mais antigo da América Latina), A Luta Democrática de Tenório Cavalcante, Última Hora, Jornal do Brasil que havia descontinuado sua publicação, voltou a ser publicado, mas difícil de ser achado nas bancas, Tribuna da Imprensa, inicialmente de Carlos Lacerda e depois de Hélio Fernandes, sem contar o Pasquim e o Planeta Diário. Hoje nos atemos a O Globo e seus satélites, Extra e o tabloide Expresso e O Dia e seu satélite Meia Hora.

A Mídia quando não denigre por escrito, denigre por imagem. Este é o atual jeito de Jornalismo no Brasil: O Anti Jornalismo. Aquele tipo de jornalismo sensacionalista e podre. Que na verdade, quer sempre mostrar aquele ou aquela que eles elegeram para serem contra, de uma Forma Negativa, e, é claro, como o atual governo não se vendeu a mídia como os governos anteriores assim o fizeram, o alvo preferido deste anti jornalismo hoje é o governo Bolsonaro. Não sei como a mídia não publicou que o fracasso do Flamengo na disputa do Mundial Inter Clubes contra o Liverpool não foi culpa do Bolsonaro, que torceu pelo clube brasileiro.

Não temos diploma, nem fizemos faculdade de jornalismo, mas, aos 62 anos de idade, tendo vivenciado todo o Governo Militar e todos estes governos posteriores, de Sarney até Temer, como militante de Direita, Ativista Político da Monarquia e que hoje engrossa o coro dos que defendem o atual governo de Direita, que eleito no último pleito, tem feito um excelente governo, acreditamos que fazemos um Jornalismo de qualidade e isenção, como manda aquilo que deveria ser a Bússola de todo jornalista: Seu “Código de Ética Profissional”.

Se a mídia buscasse veicular muito mais as coisas boas que já foram e são feitas pelo governo e seus ministros, mostrando as falcatruas que o Congresso Nacional nas suas duas casas – Câmara e Senado, tem montado para barrar as pautas favoráveis ao povo, aqui então ressaltamos o tão proclamado Estado Democrático de Direito, ou seja a Vontade da Maioria, mas, vemos ser apenas a vontade da maioria dos maus políticos e seus partidos mequetrefe e não do povo, tendo ainda o STF como outro entrave ao governo. Juntos, Legislativo e Judiciário tem feito muito mais contra o povo e a nação que os ditos partidos de Esquerda, associados aos políticos carreiristas que subiram surfando na onda Bolsonaro e que hoje mostram suas caras tortas de oposição, pois, também queriam estar surfando nas mamatas que antes existiam, o povo e o país estaria ganhando um aliado fundamental para o reerguimento do Brasil, destruído pela ganância desta casta e seus apoios já citados, se a Mídia fizesse seu trabalho sério, honesto, isento e informativo, o país hoje seria outro.

O Brasil não mudou visivelmente, por que a “Mídia Oficial” que deveria ser a veiculadora da boa notícia do dia a dia, prefere mais jogar sujo contra o governo e apostar na volta dos mequetrefes anteriores que a inundava de verbas publicitárias e assim garantia sua sobrevivência ante a uma realidade retumbante – REDES SOCIAIS, a Mídia Eletrônica, a Internet, que junto a legislação existente, dá o devido respaldo à criação dessa Mídia Independente e mais séria que a “Oficial”, visto que as redes sociais de uma forma geral enxergam as bandalheiras que estão sendo feitas para emperrar o governo ou tentar denegri-lo.

Ser participante dessa Mídia Independente e Séria, junto com uma parcela de profissionais também sérios na chamada Mídia Oficial nos enche de orgulho, mas, também nos causa Nojo e Asco desses supostos Profissionais – que venderam suas almas ao Diabo da ignorância e da vileza, em vez de manterem a pureza da ética jornalística e a verdade nua e crua apenas. Aqui faço um parênteses, hoje, observamos também nessa Mídia Independente, uma parcela de pseudojornalistas e formadores de opinião, que sujam o país e o jornalismo sério e honesto que o Brasil tanto precisa. Isso só demonstra que a parcela de antibrasileiros cresce muito torcendo contra um governo que busca melhorar a situação de todos como um todo e não apenas para pequenas parcelas acostumadas a Leis Rouanet, Verbas Publicitárias ou concessões de certa forma que deveria ser caçada.

Definido por um Código de Ética, onde em seu Art. 2º, Inciso II diz textualmente – “a produção e a divulgação da informação devem se pautar pela veracidade dos fatos e ter por finalidade o interesse público;” no Seu Art. 4º – “O compromisso fundamental do jornalista é com a verdade no relato dos fatos, razão pela qual ele deve pautar seu trabalho pela precisa apuração e pela sua correta divulgação.”, no Art. 6º, Inciso VII – “combater e denunciar todas as formas de corrupção, em especial quando exercidas com o objetivo de controlar a informação;” e Inciso X – “defender os princípios constitucionais e legais, base do estado democrático de direito;” sem contar outros termos descritos nesse código de ética que hoje estão sendo deixados de lado, vemos como um jornalista sério deveria se portar e se posicionar como Profissional. Mas, com abundância observamos ocorrências contrarias a esta, o exemplo da foto acima é um deles.

Da pena ver quão baixo está o nível de Jornalismo no Brasil hoje, visando muito mais o lucro dos patrões, pois, não dá para acreditar que em sã consciência uma categoria profissional se corrompa tanto ao ponto de ser tão sensacionalista e que a real informação que o Público merece e tem o direito de ter, é deixada de lado ou mascarada com matérias pífias ou Fake News em abundância. Quero crer que muitos acabam se rendendo a esta sujeição para garantirem seus empregos, mais do que terem se tornado, na maioria esmagadora de uma categoria profissional, Antibrasileiros.

Como dissemos acima, não somos formados em Jornalismo, mas, nos consideramos mais éticos que a grande maioria, pois, visamos aquilo que o Código nos dirige a pensar, como citado acima – a Verdade em primeiro lugar e o direito do leitor de ter um jornalismo sério e verdadeiro. É uma pena que num país tão grande, tão rico e com a possibilidade de ser uma Potência Mundial, fiquemos escravo da vontade de políticos corruptos, de um judiciário apático e supostamente vendido e de uma mídia ainda mais vendida e distantes anos luz de seu sagrado dever de informar.

Print Friendly, PDF & Email

Luiz Gustavo Chrispino

Olá, sou Luiz Gustavo Chrispino Históriador, Professor de História e Geografia, Jornalista, Escritor, Conservador, Monarquista e Pró-Monarquia Parlamentar Constitucional Federalista. Membro do Conselho Curador da Fundação Cultural Palmares e Colaborador do Jornal digital Duna Press Jornal e Magazine, autor do livro de crônicas publicado nos seguintes links - eBook: https://a.co/dCmCPIa ou impressa: https://a.co/fUqe1so Normalmente, crítico as situações que nosso país vive, por acreditar que o povo sempre foi massacrado por uma casta política que sempre esteve mais interessada nos seus ganhos corruptos, que no povo em si, o que gerou a situação esquerdizante que vemos hoje nas instituições brasileiras. Gostou??? Bom!!! Não Gostou?? Fazer o que? Nem todo mundo me entende...
Botão Voltar ao topo
Translate »