Melhor mesatenista do país supera o segundo brasileiro mais bem classificado no ranking mundial por 4 a 1

O Brasil brilhou intensamente na final da Copa Pan-americana de tênis de mesa, realizada na noite deste domingo, 9, em Guaynabo (Porto Rico). Hugo Calderano, sétimo melhor jogador do mundo na atualidade, e Gustavo Tsuboi, número 40 do ranking mundial, decidiram o título, repetindo a final de 2018, e Calderano levou a melhor: 4 a 1 (11/3, 11/5, 11/13, 11/3 e 11/6). Os dois atletas estão classificados para a Copa do Mundo Masculina, de 16 a 18 de outubro, em Dusseldorf (Alemanha). Calderano completou seu 39° jogo sem perder em competições nas Américas (Copa Pan-americana, Jogos Pan-americanos, Pré-Olímpico, Aberto do Brasil, Campeonato Pan-americano e Copa Latina). Sua última derrota foi em 2016. De 15 competições que participou no continente (incluindo três torneios nos Jogos de Lima), só não ficou com o ouro em duas. Ele manteve os 1.800 pontos conquistados no ranking mundial, enquanto Tsuboi somará 180 pontos a mais (ficará com 1.350, contra 1.170 do ranking atual) na próxima atualização.Hugo Calderano começou arrasador. Abriu larga vantagem, jogando de forma muito agressiva, e praticamente não deu chances ao colega de seleção. O segundo set teve panorama parecido, com Tsuboi tentando uma tímida reação no final, mas não conseguindo virar.A terceira parcial tinha desenho parecido, com Calderano abrindo 8 a 3. Mas Tsuboi foi buscar o resultado. Empatou o jogo e viu o companheiro abrir novamente dois pontos de vantagem. Mas não desistiu e finalmente conseguiu a virada, em 13 a 11.No quarto set, Calderano foi novamente absoluto, com lances plasticamente muito bonitos. Tsuboi precisava buscar o resultado e tentar vencer três sets consecutivos. Chegou a abrir boa vantagem, mas Calderano empatou. Pediu tempo, porém, não conseguiu mais a reação, com o número 7 do mundo garantindo o tricampeonato.“Foi difícil. Creio que a cada partida da competição consegui evoluir. É normal jogar melhor na final do que na primeira rodada. E nunca é fácil jogar contra um companheiro de equipe, ele conhece meu saque, recepção. Estou muito feliz de conquistar mais um título. É muito bom sentir essa energia na América Latina”, ressaltou o campeão.“Fico bem satisfeito com o desempenho dos brasileiros. Foi ótimo assistir a uma final brasileira. Parabéns para o Gustavo também. Analisando o desempenho do Hugo, preciso dizer que estou muito feliz em ver ele com essa saúde. Dizer que estou, mais uma vez, impressionado de ver como ele achou o ritmo da competição depois de ter parado um mês! O Hugo tem uma força mental bem especial. Mas posso avaliar também que esse intervalo forçado, por ter se machucado, o ajudou bastante, pois ele evoluiu tecnicamente”, disse Jean-René Mounie, técnico de Calderano e consultor técnico da CBTM.

Fonte: CBTM

Print Friendly, PDF & Email

Facebook Comments

Comments are closed.