Após o ataque, o chefe da comunidade judaica da Alemanha  questionou  por que a polícia não havia sido designada para proteger a sinagoga em *Yom Kipur.

O parlamento estadual da Saxônia-Anhalt anuncia uma investigação sobre possíveis lapsos na resposta da polícia a um ataque a uma sinagoga em Halle, Alemanha.

Preocupações foram desencadeadas depois que as organizações de notícias alemãs examinaram o vídeo de segurança da sinagoga.

Cerca de 50 fiéis estavam na sinagoga quando o ataque começou pouco depois do meio dia de 9 de outubro. O agressor filmou o ataque com sua própria câmera, mas a câmera da sinagoga também capturou o que aconteceu depois que ele saiu de cena.

Buracos de bala na porta de entrada de uma sinagoga são retratados em Halle, na Alemanha, em 10 de outubro de 2019 (Jens Meyer / AP)

Tiros são ouvidos em segundo plano quando os chamadores da polícia descrevem o autor, identificado como Stephan Balliet, seu número de carro e placa. O agressor, usando equipamento de combate e carregando várias armas de fogo, atirou em uma transeunte perto da sinagoga e jogou explosivos sobre uma parede adjacente no cemitério judeu.

O vídeo de vigilância mostra que oito minutos se passaram antes que o primeiro carro da polícia chegasse. Um oficial permanece a vários metros da mulher propensa que foi baleada. Nenhum médico aparece e a polícia parece não estar armada ou usando equipamento de proteção.

O agressor é visto na fita de vigilância passando pela sinagoga pela segunda vez. Ninguém nota.

*Yom Pur é data mais solene do calendário judaico, denominado com o dia do perdão, em hebraico, o “Shabat HaShabatot” o Sábado dos Sábados. Acontece sempre dez dias antes do ano novo judaico.

Fonte: The Times Of Israel

Imagem destacada Pixabay

Print Friendly, PDF & Email

Facebook Comments

Comments are closed.