News

Exército do Brasil reativa a 6ª Divisão “Voluntários da Pátria”, fundada pelo Império do Brasil em 1865

Voluntários da Pátria é a denominação das Unidades militares criadas em 7 de janeiro de 1865, pelo Império do Brasil (1822-1889), para lutarem na Guerra do Paraguai (1864-1870); com as quais buscava-se reforçar o efetivo das forças militares do Exército Brasileiro.

Na manhã de 7 de fevereiro foi marcada pela cerimônia de reativação da 6ª Divisão de Exército (6ª DE). A solenidade militar realizada no 19º Batalhão de Infantaria Motorizado, na cidade de São Leopoldo (RS), foi presidida pelo Vice-Presidente da República, Antônio Hamilton Martins Mourão, e também contou com a com a presença do Comandante do Exército, General de Exército Edson Leal Pujol, do Comandante Militar do Sul, General de Exército Geraldo Antônio Miotto, e demais autoridades dos Poderes Executivo, Legislativo e Judiciário.

A 6ª Divisão de Exército, “Divisão Voluntários da Pátria”, foi reativada pelo Decreto Presidencial nº 9.965, de 8 de agosto de 2019, e terá novamente como sede a cidade de Porto Alegre (RS). O General de Divisão Achilles Furlan Neto foi nomeado para exercer o cargo de Comandante.

A 6ª Divisão de Exército, subordinada ao Comando Militar do Sul (CMS), é um Grande Comando Operacional do Exército Brasileiro constituído pela 8ª Brigada de Infantaria Motorizada, com sede em Pelotas (RS); pela 3ª Brigada de Cavalaria Mecanizada, com sede em Bagé (RS); e pelo 12ª Regimento de Cavalaria Mecanizado, com sede em Jaguarão (RS), enquadrando 23 unidades militares com cerca de 7.700 homens e mulheres, atuando em uma área fronteiriça ao sul do Brasil com cerca de 450 km.

“A 6ª DE, sendo reativada, vai trazer um poder de combate mais significativo, não só para o Comando Militar do Sul, mas para o Exército como um todo”, afirmou o Vice-Presidente da República, que é General da reserva do Exército e é antigo comandante da 6ª DE.

História

Voluntários da Pátria é a denominação das Unidades militares criadas em 7 de janeiro de 1865, pelo Império do Brasil (1822-1889), para lutarem na Guerra do Paraguai (1864 – 1870); com as quais buscava-se reforçar o efetivo das forças militares do Exército Brasileiro

Embed from Getty Images

Desprovido de recursos bélicos, sem um exército suficientemente numeroso e instruído, sem condições de revidar adequadamente a ofensa recebida, o Imperador D. Pedro II expediu o Decreto nº 3.371, de 7 de Janeiro de 1865; o qual, apelando para os sentimentos do povo brasileiro, criava corpos militares para o serviço de guerra, com a denominação de “Voluntários da Pátria“.

O Imperador D. Pedro II logo partiu para a cidade de Uruguaiana, ocupada pelo exército paraguaio em 11 de setembro. Desembarcou no Rio Grande do Sul e seguiu de lá por terra. A jornada foi realizada montada a cavalo e por carretas, e à noite o imperador dormia em tenda de campanha. Em Uruguaiana apresentando-se no acampamento do exército como o primeiro voluntário da pátria, utilizando essa estratégia política para servir de exemplo tanto aos militares ali estacionados, quanto ao resto do Brasil.

Fonte: Com CMS “Comando Militar do Sul

Print Friendly, PDF & Email

Paulo Fernando De Barros

Colunista e editor para a Noruega em Duna Press Jornal e Magazine, reportando os assuntos e informações sobre atualidades culturais, sócio-políticas e econômicas da região.
Botão Voltar ao topo