Para avançar no torneio continental, Galo precisa vencer o Unión Santa Fe-ARG, no Independência, por 3 a 0 para levar duelo aos pênaltis

“Temos que ir para o tudo ou nada”. É assim que o técnico Rafael Dudamel encara o desafio do Atlético-MG para avançar na Copa Sul-Americana. Buscando verdadeira reviravolta, o Galo recebe nesta quinta-feira (20) o Unión Santa Fe, no Independência, pelo jogo de volta da primeira fase, necessitando, no mínimo, devolver o placar de 3 a 0 na derrota sofrida na Argentina, o que levaria a decisão da vaga aos pênaltis.

– Quinta-feira (hoje), o Atlético deve ter uma postura ofensiva, os torcedores podem esperar uma equipe que irá buscar a partida. Vai ser um jogo de muito desgaste. O Unión vem de derrota nas últimas duas partidas, toda sua porta é a Sul-Americana. Temos que ir para o tudo ou nada! Combinar jogar bem com ambição, combinar jogar bem com caráter. Não vai ser fácil, mas vamos nos entregar ao máximo para fazer tudo possível para conseguir – disse o treinador atleticano.

Titular no confronto de ida, o volante Jair reconhece que será um desafio e tanto para o Atlético-MG. O jogador, no entanto, se apega a algumas viradas históricas do Galo, principalmente as da Libertadores 2013, para seguir vivo na competição. 

– Com certeza, temos que fazer nossa melhor partida no Atlético, este ano. Sabemos da dificuldade de reverter esse jogo. Mas é buscar um pouco a história do Galo, que já reverteu situações adversas. É buscar fazer o melhor e conseguir a classificação – destacou.

Se vencer por 3 a 0, a decisão da vaga à próxima fase vai para os pênaltis. Para passar no tempo normal, o Atlético-MG precisa triunfar por quatro gols de diferença, desde que sua defesa não seja vazada.

Foto: Divulgação/Conmebol

Fonte: CBF

Print Friendly, PDF & Email

Facebook Comments

Comments are closed.